Calendário 10/09/2009 - 00:00

Assim como Rogério Ceni, Jorge Wagner é daqueles jogadores que dificilmente fica fora de algum jogo. Neste Brasileiro, por exemplo, o camisa 7 só perdeu três das 23 partidas do time na competição, a última delas no último domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão, quando estava suspenso.


De volta à equipe para enfrentar o Avaí, no sábado, Jorge tem um desafio. Não quer mais desfalcar o São Paulo até o final do Brasileiro. Serão 15 jogos pela frente e o camisa 7 pretende atuar em todos.


“No ano passado fiquei fora das duas primeiras rodadas porque a comissão técnica priorizava a Libertadores. Depois disso joguei todas”, lembra o são-paulino, que fez 36 jogos seguidos na competição sem acumular três cartões amarelos. Ele foi o são-paulino que mais jogou na campanha do hexa, à frente, inclusive de Rogério Ceni, que fez 35 jogos.


Jorge Wagner se espelha na campanha passada para repetir a dose. Ele sonha que daqui a 15 rodadas, junto com o elenco tricolor, ele possa comemorar mais um título brasileiro. “Sei que é difícil jogar tantas vezes em sequência, porque depende de muita coisa, das circunstâncias dos jogos, dos árbitros, espero também não ter lesão. Mas tenho por característica não ficar fora de jogos e vou fazer o possível para jogar as próximas 15 partidas e quem sabe fechar o ano novamente com um título”, sonha.


Para Jorge Wagner, o heptacampeonato brasileiro é um sonho bem possível. “Claro que é um sonho, mas bem possível. Nosso time entrou definitivamente na briga pelo título e tem chances de vencer. Nossa experiência na competição joga a nosso favor”, emendou.


Desde que chegou ao São Paulo o camisa 7 mostra impressionante regularidade. No Campeonato Brasileiro de 2007, seu primeiro pelo tricolor, ele ficou fora de apenas 1uatro das 38 rodadas, atuando menos apenas que Rogério, Miranda e Leandro.


Em 2008, na campanha do hexa, Jorge foi o atleta que mais jogou na competição com 36 atuações – só não atuou em duas partidas. Ele deixou até o capitão Rogério Ceni para trás.


Na atual edição do Brasileiro, Jorge fez 20 jogos e perde apenas para Junior Cesar (22) e Borges (21). “Mas até op final vou assumir esta liderança. Meu desafio é jogar todas as partidas até o fim da competição”, avisa.

Compartilhe esse conteúdo

Deixe seu comentário