São Paulo F.C



leco2

Carlos Augusto de Barros e Silva

Presidente

 

VICE-PRESIDENTE
Roberto Rhormens Alves Natel 

 

 
Manoel do Carmo Meca

Manoel do Carmo Meca

Português de nascimento, em sua gestão, o clube ganhou uma sede e foram tomadas todas as providências para que se estabelecesse legal e juridicamente como agremiação esportiva. Em 1936, devido a motivos particulares, Meca decidiu renunciar à presidência, mas sua vida continuou ligada ao clube. Em 1940 foi eleito Secretário do Conselho Deliberativo e, em 1943, nomeado Diretor Geral dos Desportos Amadores. Sua gestão neste último cargo coincidiu com o período em que o São Paulo F.C. começou a se destacar em modalidades esportivas como atletismo, pugilismo, esgrima e xadrez. A partir de 1946, Meca foi sucessivamente eleito para o Conselho Deliberativo, no qual atuou com destaque até seu falecimento.

Frederico Menzen

Frederico Menzen

Frederico Menzen detém o registro histórico de Sócio número 1 do São Paulo F.C. Na reunião de fundação do clube, foi escolhido como o primeiro representante do tricolor na Liga Paulista de Futebol. Presidiu o clube no biênio de 1936 a 1938. Integrou por diversas vezes a Diretoria Executiva e o Conselho Deliberativo. Em 1938 presidiu a Junta Governativa e de 1946 a 1949 exerceu a Presidência do Conselho Deliberativo. Eleito Vice-Presidente em 1954 chegou a ocupar por um mês a Presidência do clube. Em 1958, passou a integrar a Comissão Pró-Estádio, instituída para coordenar a construção do Morumbi. Como Presidente Benemérito, foi o maior responsável pela contratação do técnico Feola.

Piragibe Nogueira

Piragibe Nogueira

Quando da fusão com o Clube Atlético Estudantes, ao qual pertencia, o médico Piragibe Nogueira proferiu o voto de Minerva na histórica reunião que, em 1938, escolheu a denominação São Paulo Futebol Clube. Na ocasião, foi eleito presidente e, em 1941, escolhido presidente do Conselho Deliberativo. De 1948 a 1951, dirigiu o Departamento Médico do clube, para onde levou toda sua vasta experiência profissional. Entre 1951 e 1962, foi consecutivamente eleito Presidente do Conselho Deliberativo. Participou ativamente da Comissão Pró-Estádio, cujo trabalho resultou na edificação do Morumbi. Por diversas vezes, na década de 60, ocupou a vice-presidência do tricolor. Foi nomeado conselheiro Vitalício em 1973 e assumiu a Presidência do Conselho Consultivo entre janeiro de 1979 e janeiro de 1984. Piragibe é o único são-paulino que ocupou a Presidência dos três Conselhos.

Paulo Machado de Carvalho

Paulo Machado de Carvalho

Radialista de renome, Paulo Machado de Carvalho foi eleito, em 1940, membro do Conselho Deliberativo. Também exerceu o cargo de Secretário Geral da Diretoria. No mesmo ano, é indicado e eleito para o cargo de Presidente da Diretoria. Em 1942 foi o responsável direto pela contratação do ídolo são-paulino, Leônidas da Silva. Em 1944, é escolhido para dirigir o Departamento de Futebol Profissional. Em 1946, em dezembro, foi eleito por aclamação presidente da Diretoria. Paulo Machado de Carvalho deixou o cargo de presidente em 1947 e, no ano seguinte, tornou a dirigir o Departamento de Futebol Profissional, onde permaneceu até 1951. Ficou conhecido também como "Marechal da Vitória", por ter chefiado as delegações brasileiras nas conquistas dos Campeonatos Mundiais de 1958, na Suécia e 1962, no Chile.

João Tomaz Monteiro da Silva

João Tomaz Monteiro da Silva

João Tomaz Monteiro da Silva sempre participou ativamente da vida do São Paulo Futebol Clube. Em 1940 foi eleito Presidente do Conselho Deliberativo. Em novembro do mesmo ano tornou-se Sócio Benemérito do tricolor e escolhido para ocupar a presidência do clube, mas faleceu poucos dias depois de ter assumido o cargo. Apesar do curto período em que ocupou a presidência, João Tomaz é lembrado pela indicação que fez do nome de Frederico Menzen para a Diretoria da Liga de Futebol do Estado de São Paulo. Até hoje é rememorado como exemplo de fidalgia, são-paulinismo, esportividade, bons costumes e simpatia.

Décio Pacheco Pedroso

Décio Pacheco Pedroso

Em 1938, o médico Décio Pacheco Pedroso foi eleito membro do Conselho Deliberativo do São Paulo F.C.. Em1941 foi eleito para o cargo de Presidente da Diretoria do clube. Em 1943 foi reconduzido à Presidência da Diretoria, cargo que ocupou até 1946. Ainda em 1943, acumulou as funções de Presidente e Diretor de Futebol. Participou ativamente do Conselho Consultivo até 1981, ano de seu falecimento.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1943 e 1945.

Roberto Gomes Pedroza

Roberto Gomes Pedroza

Roberto Gomes Pedroza ingressou no São Paulo F.C em 12 de setembro de 1938 - data da fusão com o Estudantes, do qual o futuro dirigente já fazia parte. Pedroza defendeu as cores são-paulinas como goleiro até 1939. Também foi goleiro da Seleção Brasileira. Em 1940 foi eleito Conselheiro do clube. Em 1941, nomeado diretor do Departamento de Futebol e um ano depois intitulado Sócio Benemérito. Em 1943, foi indicado Diretor do Departamento Técnico da FPF; em 1944 ocupou o cargo de Secretário Geral da FPF; e em 1945, eleito membro do Conselho Regional de Desportos. Foi escolhido em 1946 para ocupar a presidência do São Paulo. Em 1947, foi eleito Presidente da FPF - cargo que exerceu até 1954, ano de seu falecimento.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1946.

Cícero Pompeu de Toledo

Cícero Pompeu de Toledo

Cícero Pompeu de Toledo ingressou no São Paulo F.C. em 1939. De 1944 a 1946, assumiu o cargo de Secretário da Diretoria e sua gestão foi marcada por um significativo aumento do quadro social do clube. Em 1947 foi eleito pela primeira vez Presidente do clube, sendo consecutivamente reeleito até 1957, ano em que se afastou por motivos de saúde. Em suas últimas gestões à frente do tricolor, incentivou a formulação do projeto de construção do Estádio do Morumbi, dando início à construção da praça de esportes que hoje leva o seu nome, mas não teve a felicidade de ver a obra concluída. Cícero Pompeu de Toledo é considerado o Presidente de Honra do São Paulo F.C. - portanto, eterno presidente do clube.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1948, 1949, 1953 e 1957.

Laudo Natel

Laudo Natel

Laudo Natel iniciou sua carreira profissional como bancário, no Bradesco, chegando à presidência da instituição bancária. Ingressou no São Paulo F.C. em 1946, como sócio contribuinte. Em 1952 foi designado Diretor do Departamento de Finanças do clube. Em 1954, foi eleito membro do Conselho Deliberativo. Em 1956 foi nomeado 1º tesoureiro. Eleito, pela primeira vez, Presidente do São Paulo F.C. - cargo para qual foi reeleito 6 vezes. Afastou-se do clube apenas em 1966 e 1971, quando assumiu o governo do Estado de São Paulo. Laudo Natel foi também presidente da Comissão Pró-Estádio. Sob sua administração o imponente estádio do Morumbi foi construído, bem como o Parque Aquático e os Ginásios 4 e 5. Por sua atuação em prol do clube, recebeu o título de Patrono do São Paulo.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1970.

Henri Couri Aidar

Henri Couri Aidar

O advogado Henri Couri Aidar ingressou no São Paulo F.C. em 1953, e três anos depois já tinha assento no Conselho Deliberativo. Em 1957, atuou como advogado, pela primeira vez em nome do clube, perante o Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol. Em 1964 passou a dirigir o Departamento de Futebol Profissional e fez parte, por várias gestões, da Comissão Pró-Estádio. Foi nomeado Vice-Presidente da Diretoria no período 1968-1972. Responsável pela construção dos campos de futebol social e pelo vestiário feminino. Foi eleito, consecutivamente, Presidente no período de 1972 a 1978.

Títulos como Presidente: Campeão Brasileiro de 1977 e Campeão Paulista de 1971 e 1975.

Antônio Leme Nunes Galvão

Antônio Leme Nunes Galvão

O primeiro contato de Antonio Leme Nunes Galvão com o São Paulo F.C. foi na época do início da construção do Estádio do Morumbi, quando prestou serviços de engenharia civil ao clube. Em 1962, ingressou no quadro de associados e nesse mesmo ano foi indicado Conselheiro. Tornou-se membro da Comissão Pró-Estádio em 1966, com a responsabilidade de dirigir do Departamento de Obras. Em 1968 foi empossado como Vice-Presidente da Diretoria. Em 1978 foi eleito Presidente do Clube e reconduzido ao cargo em 1980, vivendo um período fértil em obras no parque social, com a edificação dos Ginásios 1, 2 e 3. Foi eleito Presidente do Conselho Deliberativo em 1990.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1980 e 1981.

José Douglas Dallora

José Douglas Dallora

O empresário e professor de odontologia José Douglas Dallora, sócio do São Paulo FC desde 1961, foi Diretor de Futebol Profissional do Tricolor de 1976 a 1980. Neste período, o clube sagrou-se Campeão Brasileiro (1977) e Campeão Paulista (1980). Foi eleito Presidente do clube em 1982 - o primeiro originado da parte social do clube. Sua gestão foi marcada pela conquista do terreno e início do processo de implantação do Centro de Treinamento da Barra Funda, e também pela construção do Edifício Garagem. José Douglas Dallora é Membro Nato do Conselho Consultivo do São Paulo F.C.

Carlos Miguel Castex Aidar

Carlos Miguel Castex Aidar

O advogado Carlos Miguel Castex Aidar é ligado ao São Paulo F.C. desde que nasceu. Filho do dirigente Henri Couri Aidar, cedo apaixonou-se pelo clube e, entre 1978 e 1982, assumiu a direção do Departamento Jurídico. Em 1984, foi eleito Presidente da Diretoria, cargo que ocupou por duas gestões, até 1988. Aos 36 anos de idade, foi o mais jovem Presidente do São Paulo F.C. Construiu o CT da Barra Funda e teve importante participação na criação e consolidação do Clube dos 13, entidade que reúne as principais equipes de futebol do País. Foi Presidente do Conselho Deliberativo em 1988. Foi o introdutor de novas normas administrativas, modernizando o clube. Reeleito Presidente da Diretoria Executiva em abril de 2014 para um mandato de três anos, renunciou após 18 meses de gestão. 

Títulos como Presidente: Campeão Brasileiro de 1986 e Campeão Paulista de 1985 e 1987.

Juvenal Juvêncio

Juvenal Juvêncio

Juvenal Juvêncio foi advogado e ocupou a direção do Departamento de Futebol do São Paulo F.C., sagrando-se Campeão Paulista em 1985. Este foi o período conhecido como a "época dos menudos", quando Silas, Muller, Sidney e Careca brilhavam no ataque tricolor. Foi eleito Presidente para o biênio 1988-1990. Em sua gestão foram construídos, além da reforma dos campos de futebol e a concepção arquitetônica dos desenhos que ladeiam o campo do Estádio do Morumbi. Conselheiro vitalício, voltou à Diretoria de Futebol do clube na gestão de Marcelo Portugal Gouvêa, quando o Tricolor venceu o Paulista, a Libertadores e o Mundial, todos em 2005. Participou da concepção do CFA de Cotia. Assumiu novamente a presidência do clube em 2006. Conquistou o Tri-Hexacampeonato Brasileiro, o único tricampeonato consecutivo do clube e a Copa Sul-Americana de 2012. 

Títulos como Presidente: Campeão Brasileiro de 2006, 2007 e 2008, da Copa Sul-Americana de 2012 e do Campeonato Paulista de 1989.

José Eduardo Mesquita Pimenta

José Eduardo Mesquita Pimenta

Desde 1952 José Eduardo Mesquita Pimenta é sócio do São Paulo F.C.. Em 1966 foi eleito membro do Conselho Deliberativo, órgão no qual acabou ocupando o cargo de Vice-Presidente. Foi Secretário-Geral da Diretoria (1984 a 1988). Em 1990, foi eleito Presidente da Diretoria e teve sua gestão marcada por grandes investimentos na modernização administrativa, na informatização e reorganização geral do clube. Reconduzido ao cargo de Presidente em 1992, deu continuidade ao seu ideal de transformar o São Paulo em um clube-empresa. Para organizar e divulgar a história de glórias do clube, em 1994 criou o Memorial do São Paulo F.C.

Títulos como Presidente: Campeão Mundial de 1992 e 1993; Campeão da Copa Libertadores da América de 1992 e 1993; Campeão da Supercopa Sulamericana de 1993; Campeão da Recopa Sulamericana de 1993 e 1994; Campeão Brasileiro de 1991 e Campeão Paulista de 1991 e 1992

 

Fernando José Casal de Rey

Fernando José Casal de Rey

Sócio do São Paulo F.C. desde 1971, Fernando José Pinto Casal de Rey foi eleito membro do Conselho Deliberativo em 1974. Diretor-Adjunto de Futebol no biênio 1980-1981. Assumiu a Diretoria de Futebol em 05 de maio de 1990, sendo extremamente bem sucedido. Eleito Presidente em 1994 e reeleito em 1996 teve como maiores marcas de sua administração: a aquisição do CT Guarapiranga, ampla reforma executada no Estádio do Morumbi e a construção do parque aquático com piscina aquecida, vestiário e sala de musculação.

Títulos como Presidente: Copa Conmebol de 1994 e Copa Master Conmebol de 1996

José Augusto Bastos Neto

José Augusto Bastos Neto

Paulistano de nascimento ingressou como sócio em 1957. Foi diretor adjunto de Marketing entre 90 e 93. Foi Diretor Social no biênio 94/95, quando ocorreram a reforma dos vestiários masculino e feminino, a criação do solarium, a construção da caixa d'água e ampliação do setor de ginástica feminina. Tornou-se Secretário Geral no biênio 96/97, promovendo o recadastramento dos Associados. Eleito presidente dirigiu o clube em 98/99, equipando o Estádio com moderno sistema de iluminação, assentos nas arquibancadas superiores e construindo mais dois vestiários no Estádio, além de modernizar o Salão de Festas. Ampliou o Salão Nobre e o Memorial. Introduziu o Informativo aos Associados e deu periodicidade a Revista São Paulo Notícias. Fomentou solidamente no clube esportes como Vôlei e Futsal, além dos alternativos Biribol e Pádel.

Títulos como Presidente: Campeão Paulista de 1998

Paulo Amaral

Paulo Amaral

Sócio do São Paulo F.C. desde 1988, Paulo Amaral Vasconcelos foi Diretor Financeiro do clube por sete anos. Eleito Presidente da Diretoria em 2000, conquistou dois títulos pelo clube, notabilizando-o como revelador de jovens jogadores, como o craque Kaká. Após concluir o mandato, foi empossado Conselheiro Vitalício.

Títulos como Presidente: Campeão do Torneio Rio-São Paulo de 2001 e Campeão Paulista de 2000.
Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa

Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa

Ingressou como sócio do São Paulo FC em 1966. Foi Diretor de Futebol entre 88 e 90 quando o tricolor conquistou o Paulista de 1989. Ocupou o cargo de Diretor Administrativo de 84 a 88. Foi membro dos conselhos Consultivo de 99 a 2004 e Fiscal de 2000 a 2002. Empossado em 2001 como Sócio Benemérito. Eleito presidente dirigiu o clube de 2002 a 2006, contribuindo para a revitalização e modernização da área social e do Estádio do Morumbi. Em sua gestão, inaugurou o CFA, Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel, em Cotia.

Títulos como Presidente: Campeão Mundial de 2005; Campeão da Copa Libertadores da América de 2005; Campeão Paulista de 2005 e Supercampeão Paulista de 2002.

Carlos Augusto de Barros e Silva

Carlos Augusto de Barros e Silva

Sócio do São Paulo Futebol Clube desde 1966 - então com 28 anos de idade -, Carlos Augusto de Barros e Silva tornou-se Conselheiro do Clube, pela primeira vez, em 1986. Foi reeleito para o cargo em 1994 e, por fim, empossado membro vitalício do maior órgão são-paulino, em 1996.

Tomou parte em diretorias executivas: De 1986 a 1988 foi diretor adjunto de futebol, de 1988 a 1990 esteve à frente da diretoria jurídica do clube. Entre 2002 e 2003, comandou a diretoria de futebol profissional e de 2006 a 2014 teve como pasta a diretoria de orçamento e controle. Além disso, foi Vice-Presidente de Futebol Profissional entre 2008 e 2011 e Vice-Presidente da Diretoria entre 2011 e 2014.

Antes de ser eleito Presidente da Diretoria Executiva, em 2015, Carlos Augusto Barros e Silva foi, também, Presidente do Conselho Deliberativo do Tricolor (2014-2015).

 
  • De 26/01/30 a 1931 - Edgard Egydio de Souza Aranha
  • De 1931 a 1933 - Edgard Egydio de Souza Aranha
  • De 1933 a 25/06/34 - Edgard Egydio de Souza Aranha
  • De 25/06/34 a 07/03/35 - João Baptista da Cunha Bueno (renunciou)
  • De 07/03/35 a 14/05/35 - Luís Oliveira de Barros
  • De 04/06/35 a 16/12/35 - Carlos Monteiro Brisola (CA São Paulo)
  • De 16/12/35 a 29/02/36 - Manoel do Carmo Mecca (renunciou)
  • De 29/02/36 a 01/05/36 - Frederico Antônio Germano Menzen
  • De 01/05/36 a 25/11/37 - Frederico Antônio Germano Menzen
  • De 25/11/37 a 14/06/38 - Frederico Antônio Germano Menzen
  • De 14/06/38 a 21/06/38 - Cid Mattos Vianna (renunciou)
  • De 22/06/38 a 12/09/38 - Junta Provisória
  • De 12/09/38 a 15/02/40 - Piragibe Nogueira
  • De 15/02/40 a 14/11/40 - Paulo Machado de Carvalho
  • De 14/11/40 a 29/12/40 - João Thomas Monteiro da Silva (faleceu)
  • De 29/12/40 a 19/12/41 - Décio Pacheco Pedroso
  • De 19/12/41 a 13/12/43 - Décio Pacheco Pedroso
  • De 13/12/43 a 12/02/46 - Décio Pacheco Pedroso (renunciou)
  • De 12/02/46 a 14/12/46 - Roberto Gomes Pedroza (renunciou)
  • De 14/12/46 a 30/09/47 - Paulo Machado de Carvalho (renunciou)
  • De 30/09/47 a 13/12/47 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 13/12/47 a 20/12/49 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 20/12/49 a 15/12/51 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 15/12/51 a 27/04/54 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 27/04/54 a 17/04/56 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 17/04/56 a 29/04/58 - Cícero Pompeu de Toledo
  • De 30/04/58 a 19/04/60 - Laudo Natel
  • De 19/04/60 a 16/04/62 - Laudo Natel
  • De 16/04/62 a 16/04/64 - Laudo Natel
  • De 16/04/64 a 29/04/66 - Laudo Natel
  • De 29/04/66 a 16/04/68 - Laudo Natel
  • De 06/06/66 a 31/01/67 - Manoel Raymundo Paes de Almeida (interino)
  • De 16/04/68 a 05/05/70 - Laudo Natel
  • De 05/05/70 a 28/04/72 - Laudo Natel (afastou-se)
  • De 05/12/70 a 11/01/71 - Cláudio Aidar (interino)
  • De 15/03/71 a 27/04/72 - Henri Couri Aidar (efetivo)
  • De 28/04/72 a 29/04/74 - Henri Couri Aidar
  • De 29/04/74 a 27/04/76 - Henri Couri Aidar
  • De 27/04/76 a 27/04/78 - Henri Couri Aidar
  • De 27/04/78 a 29/04/80 - Antônio Leme Nunes Galvão
  • De 29/04/80 a 27/04/82 - Antônio Leme Nunes Galvão
  • De 27/04/82 a 17/04/84 - José Douglas Dallora
  • De 17/04/84 a 16/04/86 - Carlos Miguel Cástex Aidar
  • De 16/04/86 a 16/04/88 - Carlos Miguel Cástex Aidar
  • De 16/04/88 a 23/04/90 - Juvenal Juvêncio
  • De 23/04/90 a 23/04/92 - José Eduardo Mesquita Pimenta
  • De 23/04/92 a 25/04/94 - José Eduardo Mesquita Pimenta
  • De 26/04/94 a 23/04/96 - Fernando Pinto Casal de Rey
  • De 23/04/96 a 16/04/98 - Fernando Pinto Casal de Rey
  • De 16/04/98 a 29/04/00 - José Augusto Bastos Neto
  • De 29/04/00 a 20/04/02 - Paulo Amaral Vasconcellos
  • De 20/04/02 a 30/04/04 - Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa
  • De 30/04/04 a 17/04/06 - Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa
  • De 17/04/06 a 22/04/08 - Juvenal Juvêncio
  • De 22/04/08 a 20/04/11 - Juvenal Juvêncio
  • De 20/04/11 a 16/04/14 - Juvenal Juvêncio
  • De 16/04/14 a 13/10/15 - Carlos Miguel Cástex Aidar (renunciou)
  • De 13/10/15 a 27/10/15 - Carlos Augusto de Barros e Silva (interino)
  • De 27/10/15 a 18/04/17 - Carlos Augusto de Barros e Silva
  • De 18/04/17 a Dez/20 - Carlos Augusto de Barros e Silva
 

Eleições para a Presidência da Diretoria Executiva do São Paulo Futebol Clube


I Eleição – Assembleia Geral

  • 26 de janeiro de 1930
  • Não houve concorrência
  • Edgard Egydio de Souza Aranha: Aclamação

 

II Eleição

  • 1931
  • Não houve concorrência
  • Edgard Egydio de Souza Aranha

 

III Eleição

  • 1933
  • Não houve concorrência
  • Edgard Egydio de Souza Aranha

 

IV Eleição

  • 25 de junho de 1934
  • Não houve concorrência
  • João Baptista da Cunha Bueno

 

V Eleição

  • 7 de março de 1935
  • Não houve concorrência
  • Luís Oliveira de Barros

 

VI Eleição – Assembleia Geral (Clube Atlético São Paulo)

  • 4 de junho de 1935
  • Não houve concorrência
  • Carlos Monteiro Brisola: Aclamação

 

VII Eleição – Assembleia Geral

  • 16 de dezembro de 1935
  • Não houve concorrência
  • Manoel do Carmo Mecca: Aclamação

 

VIII Eleição – Assembleia Geral

  • 29 de fevereiro de 1936
  • Não houve concorrência
  • Frederico Antônio Germano Menzen: Aclamação

 

IX Eleição – Assembleia Geral

  • 1 de maio de 1936
  • Não houve concorrência
  • Frederico Antônio Germano Menzen: Ratificação pós-reforma estatutária

 

X Eleição – Assembleia Geral

  • 25 de novembro de 1937
  • Não houve concorrência
  • Frederico Antônio Germano Menzen: Ratificação pós-reforma estatutária

 

XI Eleição

  • 14 de junho de 1938
  • Não houve concorrência
  • Cid Mattos Vianna: Aclamação

 

XII Eleição

  • 21 de junho de 1938
  • Não houve concorrência. Formação de Junta Provisória Governativa
  • Frederico Antônio Germano Menzen (Presidente da Junta): Aclamação

 

XIII Eleição

  • 12 de setembro de 1938
  • Não houve concorrência.
  • Piragibe Nogueira: Aclamação

 

XIV Eleição

  • 15 de fevereiro de 1940
  • Não houve concorrência
  • Paulo Machado de Carvalho

 

XV Eleição

  • 14 de novembro de 1940
  • Não houve concorrência
  • João Thomas Monteiro da Silva

 

XVI Eleição

  • 29 de dezembro de 1940
  • Não houve concorrência
  • Décio Pacheco Pedroso

 

XVII Eleição

  • 19 de dezembro de 1941
  • Não houve concorrência
  • Décio Pacheco Pedroso

 

XVIII Eleição

  • 13 de dezembro de 1943
  • Não houve concorrência
  • Décio Pacheco Pedroso

 

XIX Eleição

  • 12 de fevereiro de 1946
  • Não houve concorrência
  • Roberto Gomes Pedroza: Aclamação para mandato temporário

 

XX Eleição

  • 14 de dezembro de 1946
  • Não houve concorrência
  • Paulo Machado de Carvalho: Aclamação

 

XXI Eleição

  • 30 de setembro de 1947
  • Cícero Pompeu de Toledo: 81 votos
  • José Aranha: 36 votos

 

XXII Eleição

  • 13 de dezembro de 1947
  • Cícero Pompeu de Toledo: 53 votos
  • Décio Pacheco Pedroso: 52 votos

 

XXIII Eleição

  • 20 de dezembro de 1949
  • Não houve concorrência
  • Cícero Pompeu de Toledo: 96 votos
  • Nulos: 2 votos
  • Em branco: 1 voto

 

XXIV Eleição

  • 15 de dezembro de 1951
  • Cícero Pompeu de Toledo: 84 votos
  • Décio Pacheco Pedroso: 55 votos

 

XXV Eleição

  • 27 de abril de 1954
  • Não houve concorrência
  • Cícero Pompeu de Toledo: 87 votos
  • Abstenções: 5 conselheiros

 

XXVI Eleição

  • 17 de abril de 1956
  • Não houve concorrência
  • Cícero Pompeu de Toledo: 76 votos

 

XXVII Eleição

  • 30 de abril de 1958
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 128 votos
  • Em branco: 1 voto

 

XXVIII Eleição

  • 19 de abril de 1960
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 86 votos
  • Em branco: 2 votos

 

XXIX Eleição

  • 16 de abril de 1962
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 131 votos
  • Em branco: 1 voto

 

XXX Eleição

  • 16 de abril de 1964
  • Laudo Natel: 146 votos
  • Luiz Cássio dos Santos Werneck: 22 votos

 

XXXI Eleição

  • 29 de abril de 1966
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 119 votos
  • Em branco: 1 voto


XXXII Eleição

  • 16 de abril de 1968
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 105 votos
  • Em branco: 3 votos

 

XXXIII Eleição

  • 5 de maio de 1970
  • Não houve concorrência
  • Laudo Natel: 151 votos
  • Em branco: 1 voto
  • Abstenção: 1 conselheiro

 

XXXIV Eleição

  • 28 de abril de 1972
  • Não houve concorrência
  • Henri Couri Aidar: 130 votos
  • Em branco: 2 votos
  • Nulo: 1 voto


XXXV Eleição

  • 29 de abril de 1974
  • Não houve concorrência
  • Henri Couri Aidar: 150 votos
  • Em branco: 3 votos

 

XXXVI Eleição

  • 27 de abril de 1976
  • Não houve concorrência
  • Henri Couri Aidar: 166 votos
  • Em branco: 1 voto


XXXVII Eleição

  • 27 de abril de 1978
  • Não houve concorrência
  • Antônio Leme Nunes Galvão: 183 votos
  • Abstenções: 4 conselheiros
  • Em branco: 1 voto


XXXVIII Eleição

  • 29 de abril de 1980
  • Antônio Leme Nunes Galvão: 78 votos
  • Homero Bellintani: 72 votos


XXXIX Eleição

  • 27 de abril de 1982
  • Não houve concorrência
  • José Douglas Dallora: 186 votos


XL Eleição

  • 17 de abril de 1984
  • Carlos Miguel Cástex Aidar: 172 votos
  • Luiz Cássio dos Santos Werneck: 51 votos

 

XLI Eleição

  • 16 de abril de 1986
  • Não houve concorrentes
  • Carlos Miguel Cáster Aidar: 170 votos

 

XLII Eleição

  • 16 de abril de 1988
  • Juvenal Juvêncio: 109 votos
  • Antônio Leme Nunes Galvão: 108 votos
  • Em branco: 1 voto

 

XLIII Eleição

  • 23 de abril de 1990
  • Não houve concorrência por desistência de Juvenal Juvêncio
  • José Eduardo Mesquita Pimenta: 188 votos
  • Em branco: 11 votos
  • Nulos: 3 votos 

 

XLIV Eleição

  • 23 de abril de 1992
  • José Eduardo Mesquita Pimenta: 130 votos
  • Antônio Cláudio Mariz de Oliveira: 93 votos

 

XLV Eleição

  • 26 de abril de 1994
  • Fernando Pinto Casal de Rey: 127 votos
  • Paulo Elysio de Andrade: 81 votos

 

XLVI Eleição

  • 23 de abril de 1996
  • Não houve concorrência
  • Fernando Pinto Casal de Rey: 118 votos

 

XLVII Eleição

  • 16 de abril de 1998
  • José Augusto Bastos Neto: 110 votos
  • Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa: 100 votos

 

XLVIII Eleição

  • 29 de abril de 2000
  • Paulo Amaral Vasconcellos: 117 votos
  • Carlos Augusto de Barros e Silva: 112 votos

 

XLIX Eleição

  • 20 de abril de 2002
  • Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa: 118 votos
  • Paulo Amaral Vasconcellos: 116 votos

 

L Eleição

  • 30 de abril de 2004
  • Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa: 117 votos
  • José Carlos de Mello Dias: 83 votos

 

LI Eleição

  • 17 de abril de 2006
  • Juvenal Juvêncio: 127 votos
  • Marcelo Martines: 101 votos

 

LII Eleição

  • 22 de abril de 2008
  • Juvenal Juvêncio: 147 votos
  • Aurélio Férnandez Miguel: 64 votos

 

LIII Eleição

  • 20 de abril de 2011
  • Juvenal Juvêncio: 163 votos
  • Edson Lapolla: 7 votos

 

LIV Eleição

  • 16 de abril de 2014
  • Não houve concorrência por desistência de Kalil Rocha Abdalla
  • Carlos Miguel Cástex Aidar: 133 votos
  • Em branco: 7 votos

 

LV Eleição

  • 27 de outubro de 2015
  • Carlos Augusto de Barros e Silva: 138 votos
  • Newton Luiz Ferreira: 36 votos
  • Em branco: 19 votos

 

LVI Eleição

  • 18 de abril de 2017
  • Carlos Augusto de Barros e Silva: 124 votos
  • José Eduardo Mesquita Pimenta: 101 votos