São Paulo F.C



São Paulo/Barueri luta, mas perde no tie-break para o Bauru

Equipe teve grande atuação e vendeu caro a derrota para um dos candidatos ao título

_MIG5428.jpg

O São Paulo/Barueri deixou a quadra do ginásio José Corrêa com um ponto apenas, mas que deixa a equipe bastante orgulhosa. Com muita raça, volume de jogo e vibração, a equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães vendeu caríssimo a derrota para um dos elencos mais caros da Superliga, o Sesi Vôlei Bauru: 3 a 2, com parciais de 25-23, 20-25, 25-19, 20-25 e 11-15. Foi a primeira partida da atual edição da competição com cinco sets.

Se na partida anterior, a derrota para Osasco, por 3 a 0, as centrais Diana e Lorena haviam sido pouco acionadas, nesta sexta-feira, a levantadora Kenya colocou as duas para brilhar, e elas corresponderam. Juntas, somaram 16 pontos. Maira e Karina também se destacaram, tanto no ataque como na defesa. Com todo esse esforço coletivo, o Tricolor foi um osso duríssimo de roer para Bauru, que é um real aspirante ao título.

No primeiro set, Lorena, com belíssima atuação, manteve o São Paulo no páreo num início de jogo muito complicado. Com muitos erros (os quatro primeiros pontos de Bauru foram produtos de falhas do time da casa), o Tricolor não permitiu que o adversário desgarrasse no placar graças à bela atuação da central, tanto no bloqueio como no ataque. No total, o São Paulo cedeu 12 pontos em erros no primeiro set.

A despeito de estar muito errático, o São Paulo também teve muito volume de jogo, além de um ataque bem distribuído. Se Lorena carregou o time nas costas no começo, depois Karina, autora de seis pontos naquela parcial, e Lorrayna (quatro), fizeram Barueri tracionar. A boa entrada de Kisy, na inversão do 5-1, foi outro fator que contribuiu para o São Paulo abrir 1 a 0.

Mordido, Bauru foi à luta no segundo set. Com atacantes poderosas, a equipe do interior conseguiu controlar o placar. Já o São Paulo teve dificuldades no passe, o que impediu que o leque de jogadas de Kenya se abrisse.

O empate, no entanto, não intimidou o Tricolor, que continuou lutando no terceiro set. Movido por grandes defesas de Nyeme e das ponteiras, o São Paulo contou ainda com bolas aceleradas da hábil levantadora Kenya, que conseguia ludibriar o pesado bloqueio interiorano. No ataque, apareceu a oportunidade para Maira brilhar – a capitã contribuiu com cinco pontos, secundada por Diana e  Kisy – cada uma delas marcou três pontos. Cabe lembrar que o elevado número de erros de Bauru na parcial (oito) também foi determinante para Barueri fechar por 25 a 19.

Jogado contra as cordas, Bauru, mais experiente, limitou sua quantidade de erros no quarto set – cometeu apenas quatro. Já Barueri cedeu nove ao adversário, e essa diferença foi determinante para que o time comandado pelo treinador Rubinho levasse o jogo para o tie-break.

No set-desempate, mais uma vez Bauru soube controlar a partida. A levantadora Dani Lins teve mais facilidades para acionar suas competentes atacantes, que deram conta do recado.

Sem tempo para lamentações, o São Paulo terá que se preparar para mais uma pedreira, já na próxima segunda-feira, quando terá pela frente, novamente em casa, o Itambé/Minas, outro candidato ao título.