São Paulo F.C



Denilson inicia recuperação no REFFIS e mata saudades do Tricolor

Volante passou por artroscopia no joelho direito e está sob os cuidados do Departamento Médico são-paulino

DSC_0455.JPG

Por Érico Leonan / saopaulofc.net

O volante Denilson, revelado nas categorias de base do Tricolor e campeão do Mundial de Clubes da FIFA (2005), do Campeonato Brasileiro (2006) e da Copa Sul-Americana (2012), iniciou nesta quinta-feira (19) a sua recuperação no REFFIS após passar por artroscopia no joelho direito. O jogador, que atualmente defende Al-Wahda-EUA, aproveitou para rever os amigos que deixou no clube e reforçar a torcida pelo ex-companheiros na Libertadores da América de 2016.

“Estava com um desconforto no joelho, que me atrapalhou durante boa parte da temporada. Joguei com dores e tomei infiltração, então aproveitei este período de férias para fazer a cirurgia. Entrei em contato com os profissionais do REFFIS, e o São Paulo abriu as portas. Fico muito feliz de poder me recuperar aqui, porque mostra o reconhecimento do trabalho. Quero me recuperar bem e aproveitar este período para matar as saudades do clube, porque fui criado aqui”, afirmou o marcador.

O meio-campista Wellington, que também está sob os cuidados do Departamento Médico e foi campeão da Sul-Americana ao lado de Denilson teve a oportunidade de rever o amigo e relembrar algumas passagens da vitoriosa campanha no torneio continental. “O Wellington é um grande amigo que o São Paulo me deu. Reencontrar o pessoal é gratificante. Pude conversar, dar um abraço nos funcionários do clube e matar as saudades. Estou muito feliz com este reencontro e, sem dúvida, minha recuperação será ainda melhor com este ambiente”, acrescentou.

Mesmo atuando longe do futebol brasileiro, o volante tem acompanhado o Tricolor e reforçado a torcida pelo título da Libertadores. O atleta não perdeu nenhum jogo da equipe são-paulina até aqui, e está confiante. “Tenho acompanhado tudo. Agora o time se encontrou e vive uma boa sequência, principalmente no Morumbi. Mesmo de longe, estou sempre ligado no São Paulo, porque é o clube onde eu comecei e devo a minha carreira. Cheguei no Tricolor com 11 anos de idade e tenho um afeto muito grande”, revelou o jogador, que completou.

“Estou feliz com este momento do time e na torcida pelo troféu da Libertadores. O São Paulo encontrou uma maneira de jogar e está cada vez mais firme. Tenho certeza de que chegará ainda melhor na semifinal”, finalizou Denilson, que seguirá no REFFIS nas próximas semanas até reunir condições de jogo e se apresentar ao Al-Wahda.