São Paulo F.C



Nove anos sem o Mestre!

No dia 21 de abril de 2006, por falência múltipla dos órgãos, Mestre faleceu e foi eternizado na torcida tricolor

posado

Por Arquivo Histórico / saopaulofc.net

Técnico mais vitorioso na história do Tricolor, Telê Santana se despedia da torcida são-paulina há exatos nove anos. No dia 21 de abril de 2006, por falência múltipla dos órgãos, o eterno comandante do São Paulo faleceu aos 74 anos, em Belo Horizonte. Seus feitos, conquistas e vitórias, porém, estarão sempre gravados na memória da cada torcedor são-paulino, que sempre podará falar com orgulho do Mestre!

Telê teve duas passagens pelo Tricolor (1973 e 1990-1996). Ao todo foram dez títulos oficiais conquistados, incluindo os bicampeonatos da Taça Libertadores da América e do Mundial Interclubes, que elevaram o nome do clube a um patamar nunca antes atingido. Eterno ídolo da torcida, que até hoje canta seu nome nos jogos do time, sua marca registrada era a disciplina imposta a seus comandados. Tudo em prol da perfeição técnica, alcançada mediante treinamento constante e rigidez de conduta.

Por essa dedicação de corpo e alma - chegou a morar no Centro de Treinamento da Barra Funda, por exemplo -, e claro, também pelo futebol perfeccionista e títulos vencidos, Telê Santana conquistou a todos. No currículo, sempre com a missão de defender a equipe são-paulina e elevar o São Paulo nos quatro cantos, o técnico colecionou memoráveis conquistas.

No Tricolor, ergueu as taças de Campeão Mundial Interclubes 1992 e 1993; da Copa Libertadores da América 1992 e 1993, da Supercopa Sul-Americana de 1993; da Recopa Sul-Americana de 1993 e 1994, do Campeonato Brasileiro de 1991 e do Campeonato Paulista de 1991 e 1992. Consagrado por onde passou, Telê foi caracterizado pelo futebol arte, principalmente na Seleção Brasileira de 1982. Mostrou que títulos simplesmente não bastavam, era preciso algo mais: transformar simples partidas em momentos inesquecíveis.

E conseguiu. Por isso, nosso eterno obrigado, Telê! Olêêê, olê, olê, olêêêêê, Telê,Telêêêê!