São Paulo F.C



Escolinhas licenciadas do SPFC disputaram a IberCup, em Barcelona

Unidades Piloto, Santana e Anália Franco tiveram 37 atletas representando o Tricolor em grandioso torneio juvenil da Europa

Com 95 pessoas na delegação (37 atletas, familiares e seis membros de comissão técnica, entre professores e diretores), as Escolas Licenciadas do São Paulo Futebol Clube – Unidades Piloto, Santana e Anália Franco – representaram muito bem as cores do Tricolor na Europa, em Costa Barcelona, no torneio IberCup.

O IberCup atualmente é um dos maiores e mais importantes torneios mundiais de futebol juvenil. São mais de 70 países envolvidos, com cerca de 32 mil atletas, em uma semana de disputa, nas competições que organizam pela Europa. O campeonato coloca frente a frente os melhores times de base e escolinhas do mundo, se tornando uma experiência multicultural, turística e futebolística. 

Os proprietários das escolas, Cláudio Sparapani e Vivian Mathias Sparapani, contaram como começaram a participar de torneios internacionais. “Os convites para participarmos desses torneios começaram a parecer em 2014, quando 75 alunos nossos fizeram parte da Festa de Abertura da Copa do Mundo. A repercussão foi imensa dentro e fora do Brasil, assim, em 2015 fomos para França e 2016 para Portugal. É uma experiência única. Novas culturas, passeios, os meninos fazem novos amigos e se relacionam com pessoas do mundo inteiro”, contou Vivian.

Todos os clubes podem participar, desde que sejam membros de federações associadas à FIFA ou escolas de futebol, desde que geridas por equipes também afiliadas da federação. As equipas foram distribuídas em grupos de quatro ou cinco equipas cada, onde jogaram entre si. A classificação foi determinada de acordo com os pontos conquistados. As duas melhores equipes avançaram para a fase eliminatória em busca do troféu, enquanto as demais seguiam jogando em outros grupos. 

Do dia 11 a 15 de julho, três diferentes categorias da Escola do São Paulo estiveram em disputas. A geração 2005 ficou com o quarto lugar, já a geração 2007, com o quinto lugar, enquanto a geração 2004 ficou em sexto. Os primeiros colocados em todas categorias eram bases de times profissionais, o que só engrandeceu os resultados conquistados pelas escolas são-paulinas.

“A experiência em campo para nossos alunos é o mais relevante, porque somos uma escola, enquanto a maioria dos demais eram bases do mundo todo. Melhoramos a cada ano nossos resultados. O São Paulo Futebol Clube é muito conhecido e respeitado em todos lugares que fomos. Cada dia recebemos novos convites para ir à Europa. Tornamos esses momentos especiais e sabemos que deixamos boas lembranças para a vida toda do atleta e de suas famílias. É gratificante levar o Tricolor para fora do pais”, disse Cláudio.