São Paulo F.C



Campeões mundiais se rendem ao camisa 01: "O maior de todos"

Gerações campeãs de 1992, 1993 e 2005 valorizaram cada feito e conquista do maior goleiro artilheiro do futebol

Os 131 gols, os 1237 jogos pelo São Paulo, os dez recordes mundiais e os 18 títulos oficiais fizeram de Rogério Ceni um dos grandes nomes do Tricolor. Maior goleiro artilheiro do futebol, o M1TO reuniu os campeões mundiais são-paulino de 1992, 1993 e 2005 nesta sexta-feira (11), no Morumbi, para celebrar a sua trajetória nos gramados. E assim como a torcida, os ex-jogadores fizeram questão de enaltecer os feitos e conquistas do eterno camisa 01, que proporcionou um histórico encontro no Cícero Pompeu de Toledo.

"Todos sabem que ele marcou a minha carreira futebolística. Eu cheguei muito jovem aqui ao clube e encontrei um cara trabalhador, vencedor, chato no dia a dia, perfeccionista. São características que marcaram a sua vida e a sua carreira. Sou muito grato a ele, sua liderança, suas defesas, seus gols fizeram o São Paulo ganhar títulos e ter destaque. Sou muito grato com tudo que ele me ajudou na minha carreira futebolística", afirmou o uruguaio Lugano, que teve a opinião compartilhada pelos atletas da sua geração, que bateu o Liverpool-ING ( 1 x 0) na grande decisão do mundial de 2005, no Japão.

"É uma emoção muito grande estar na despedida do M1TO, porque ele é o melhor goleiro do mundo. Agradeço a Deus por me proporcionar momentos especiais ao lado dele, como ser campeão mundial e brasileiro. Ele merece isso e muito mais, é uma pena ver o Rogério se despedir, ele podia jogar mais uma Libertadores, mas chegou a hora. Falei pra ele que depois do jogo vamos tomar um Danone juntos pra comemorar aquele Mundial que foi especial", acrescentou o centroavante Aloísio.

Assim como os vencedores de 2005, os eternos comandados do Mestre Telê Santana também se renderam ao capitão. "Na minha época, o Rogério era um menino. Estava sempre brincando, mas o tempo fez ele se tornar este gigante do São Paulo. O maior de todos. Ainda estou de boca aberta, porque ele lotou o Morumbi e proporcionou uma grande festa. Agora, estou no encerramento de uma carreira, uma trajetória maravilhosa", avaliou Toninho Cerezo.

A extensa lista de elogios aos arqueiro também contou com palavras do atacante Müller. "O mais importante para o Rogério, e tenho certeza disso, foram as conquistas coletivas que deram ainda mais força ao clube. Claro, ele quebrou muitas marcas e teve uma carreira vencedora, mas os maiores feitos foram os títulos que estão marcados na história. E foi gratificante fazer parte disso, nesta noite maravilhosa, porque nunca imaginei que duas gerações tão vitoriosas pudessem se reencontrar", disse o ex-jogador.

Por fim, o técnico Muricy Ramalho falou sobre a sua relação com o M1TO. "Sou amigo do Rogério, mas quero saber como será amanhã para ele (risos). A vida dele era acordar e trabalhar no São Paulo. Era a grande paixão dele. Mas, agora, ele terá que saber como levar uma outra vida. Foi muito legal participar da festa, sem dúvida foi um momento histórico e representar o Telê foi como um prêmio para mim", finalizou o comandante.