São Paulo F.C



O primeiro título do Tricolor no Morumbi

Há 49 anos, o São Paulo faturou o Campeonato Paulista de 1971 sobre o rival Palmeiras

No dia 27 de junho de 1971, no estádio do Morumbi com mais de 115 mil pessoas presentes, o São Paulo Futebol Clube sagrou-se campeão paulista de 1971 após vencer o Palmeiras por 1 a 0. O gol tricolor, marcado por Toninho Guerreiro logo no início da partida, coroou o "melhor meio de campo do país" (Edson, Gerson e Pedro Rocha) na época, mas também fez justiça a todo o elenco, montado com jogadores de qualidade após os 18 anos de contenção de despesas devido a construção da casa são-paulina. 

O bicampeonato paulista de 1970-71 veio para marcar o princípio de uma nova fase: A era de conquistas do São Paulo no Morumbi - afinal, essa foi a primeira conquista, de tantas, do time no estádio (o troféu do Paulistão de 1970 foi conquistado fora de casa).

Naquela temporada, o Paulistão foi disputado no formato "pontos corridos", mas com tabela dirigida (ou seja, no final do primeiro turno, a federação moldou os jogos do segundo turno para que as rodadas finais apresentassem jogos entre os candidatos ao título). O Tricolor liderava a disputa, na última rodada, com um ponto de vantagem sobre o Palmeiras (34 a 33), ficando assim com a vantagem de jogar pelo empate no confronto decisivo.

Aos cinco minutos de jogo, contudo, o gol de Toninho Guerreiro praticamente selou o título para o São Paulo. Se todo esse contexto já era favorável, dentro de campo a situação não era diferente: a tranquilidade, a força de vontade e um sistema tático perfeito mantiveram o Tricolor com total controle do jogo durante toda a primeira etapa.

O decorrer do tempo só favoreceu ainda mais o time são-paulino, enquanto ele enervava os rivais, que partiam mais à ofensiva. Aos 17 minutos, contra-ataque são-paulino: Terto cruzou para Paraná, que em disputa com Eurico, caiu na área. O juiz Armando Marques não marcou o pênalti. Pouco depois, aos 22 minutos da etapa complementar, Leivinha, do Palmeiras, acertou o gol, mas o árbitro anulou o lance alegando mão na bola. O adversário ainda acertou a trave aos 38 minutos, mas nem isso abalou a confiança dos tricolores.

Já desesperados, Fedato e Eurico, palmeirenses, se enfureceram ao ver um torcedor atirar a bola, que havia caído na geral, ainda mais para longe, e agrediram o pobre rapaz. Com muita dificuldade, a polícia conseguiu conter os jogadores, que acabaram expulsos. Devido a esse destempero, o jogo seguiu até os 53 minutos do segundo tempo, quando enfim o homem de preto o apitou o final da partida e os são-paulinos puderam comemorar o bicampeonato paulista!

 

A partida decisiva

27.06.1971 - Domingo, 16h00 - Campeonato Paulista
São Paulo (SP). Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)
Sociedade Esportiva PALMEIRAS 0 X 1 SÃO PAULO Futebol Clube

SEP: Leão; Eurico, Luis Pereira, Minuca e Dé; Dudu e Ademir da Guia; Edu, Leivinha, Cesar e Pio (Fedato)

Técnico: Mário Travaglini
Expulsões: Fedato e Eurico, 44/2

SPFC: Sergio; Pablo Forlán, Jurandir, Arlindo e Gilberto Sorriso; Édson Cegonha e Gérson; Terto, Toninho Guerreiro, Pedro Rocha (Carlos Alberto) e Paraná

Técnico: Osvaldo Brandão
Gol: Toninho Guerreiro, 5'/1.

Árbitro: Armando Nunes Castanheira da Rosa Marques
Renda: Cr$ 913.196,00 (recorde da época)
Público: 103.887 pagantes e 11.548 menores

 

A campanha

Fase única - Turno
28.02.1971 - 3 X 1 Juventus
07.03.1971 - 2 X 3 Portuguesa
12.03.1971 - 4 X 2 Paulista
21.03.1971 - 2 X 1 Palmeiras
28.03.1971 - 2 X 1 Ferroviária
31.03.1971 - 1 X 0 Ponte Preta
04.04.1971 - 1 X 1 Corinthians
10.04.1971 - 3 X 1 São Bento
17.04.1971 - 1 X 0 Botafogo
21.04.1971 - 0 X 1 Santos
25.04.1971 - 1 X 0 Guarani

Fase única - Returno
01.05.1971 - 1 X 0 Juventus
08.05.1971 - 2 X 0 Guarani
16.05.1971 - 0 X 0 Santos
23.05.1971 - 2 X 1 Botafogo
26.05.1971 - 3 X 0 São Bento
30.05.1971 - 1 X 0 Ponte Preta
02.06.1971 - 2 X 1 Ferroviária
06.06.1971 - 0 X 1 Corinthians
12.06.1971 - 3 X 2 Paulista
19.06.1971 - 4 X 1 Portuguesa
27.06.1971 - 1 X 0 Palmeiras

 

Artilharia

Toninho Guerreiro - 15 gols
Terto - 5 gols
Pedro Rocha - 5 gols
Édson Cegonha - 3 gols
Paraná - 3 gols
Téia - 3 gols
Gérson - 3 gols
Pablo Forlán - 2 gols

 

O elenco

Jogador P J V E D G S
Sérgio (Sérgio Wágner Valentim) GL 22 17 2 3 0 17
Pablo Forlán (Pablo Justo Forlán Lamarque) LD 22 17 2 3 2 0
Gilberto Sorriso (Gilberto Ferreira da Silva) LE 22 17 2 3 0 0
Édson Cegonha (Édson de Souza Barbosa) VL 21 16 2 3 3 0
Toninho Guerreiro (Antônio Ferreira) AT 21 16 2 3 15 0
Terto (Tertuliano Severiano dos Santos) AT 20 15 2 3 5 0
Gérson (Gérson de Oliveira Nunes) MC 20 15 2 3 3 0
Pedro Rocha (Pedro Virgílio Rocha Franchetti) MC 19 14 2 3 5 0
Paraná (Ademir de Barros) AT 18 13 2 3 3 0
Jurandir (Jurandyr de Freitas) DF 17 14 1 2 0 0
Lima (Paulo de Oliveira Lima) DF 17 13 2 2 0 0
Carlos Alberto (Carlos Alberto Rodrigues) VL 15 11 2 2 0 0
Arlindo (Arlindo Galvão) DF 11 9 1 1 0 0
Téia (Antônio Zelenkov Silvestre) AT 8 6 0 2 3 0
Toninho II (Antônio Pedro de Jesus) AT 6 4 1 1 0 0
Lucas (Luiz Antônio Nascimento) AT 4 3 0 1 0 0
Paulo Nani (Paulo Nani da Silva) AT 3 2 0 1 0 0
Tenente (Waldir Isaú Pereira) LE 1 1 0 0 0 0
Picasso (Ronei Paulo Travi) GL 1 1 0 0 0 0
Everaldo (Everaldo Ferreira de Lima) AT 1 1 0 0 0 0
Dario (Dario Gomes Cardoso) DF 1 1 0 0 0 0