São Paulo F.C



Gino Orlando, segundo maior artilheiro do Tricolor, completaria 90 anos hoje

Com 233 gols em 453 jogos, centroavante escreveu o seu nome na história do São Paulo

Um dos maiores goleadores na história do São Paulo, o ex-atacante Gino Orlando completaria 90 anos de idade nesta terça-feira (3). Com 233 gols em 453 jogos, o centroavante marcou época no Tricolor e participou das conquistas dos Campeonatos Paulistas de 1953 e 1957. O ex-jogador, que faleceu no dia 24 de abril de 2003 na capital paulista, era daqueles centroavantes que na década de 50/60 eram chamados de 'tanque'.

Ficavam na frente à espera de um bom passe, um bom cruzamento ou uma boa bobeada da defesa inimiga para mandar a bola às redes, sem piedade. Não era técnico, mas brigador, voluntarioso, forte, amedrontador até. Assim, infernizou as defesas adversárias e se tornou o segundo maior artilheiro do clube, atrás apenas de Serginho Chulapa, que anotou 242 gols. Na realidade, foi o primeiro atleta a alcançar 200 gols pelo clube (feito ocorrido em 1960) - Serginho somente o superou em 1982.

Gino Orlando, por sua vez, é o maior artilheiro do São Paulo no Campeonato Paulista (142 gols), em jogos internacionais (28), em partidas no exterior (19), em integrantes do Trio de Ferro (21, junto a Leônidas e Serginho), em atuações fora de casa (116), em gols marcados nos cinco minutos iniciais (17), nos cinco minutos finais (22) e no Palmeiras (12, empatado com Müller).

Crescia muito quando percebia que o beque adversário não era de entrar em bolas divididas. Destacava-se, ainda, por ser um cabeceador emérito. "Também com Maurinho numa ponta e Canhoteiro na outra...", disse, certa vez, recordando a parceria vitoriosa com o trio de frente do São Paulo naquela época.

Revelado pelo Palmeiras, o ex-atacante chegou ao clube em 1953 após passagens por XV de Jaú-SP e Comercial-SP. Foi o principal artilheiro do Tricolor nos anos de 1954 (com 25 gols), 1955 (21) e 1960 (38), além de ter conquistado a artilharia geral do Torneio Rio-São Paulo de 1958, com 12 bolas na rede.

Apesar de ter atuado em outras equipes do estado, o ex-artilheiro nunca escondeu seu amor pelo São Paulo e, depois que encerrou a trajetória como jogador, foi gerente do Estádio do Morumbi, cargo que ocupou de 1969 até a sua morte, em 24 de abril de 2003.

Ao longo da carreira, Gino atuou em diversas Seleções Brasileiras e marcou o primeiro gol de bicicleta feito em Portugal, pela Seleção, em 1957. Galã, também foi garoto propaganda de várias campanhas publicitárias. No entanto, o seu talento era mesmo nas grandes áreas rivais. O ex-atleta se definia como um jogador "grosso", um típico atacante trombador. Isso, todavia, não o impediu de se tornar o jogador que marcou gols em mais clubes diferentes na história do São Paulo (anotou tentos contra 63 times distintos).

Goleador, esteve ainda na lista de 40 nomes da Seleção enviada a FIFA para a Copa de 1958, mas foi cortado do grupo final. Com a camisa amarelinha, como jogador do São Paulo, fez 9 jogos pela equipe brasileira, acumulando cinco vitórias, dois empates e duas derrotas, tendo balançado as redes três vezes.

Gino Orlando
Gino Orlando
Atacante
453 jogos, 233 gols
Estreia: 12/03/53
Despedida: 16/12/62
Nascimento: São Paulo, SP: 03/09/1929
Falecimento: São Paulo, SP: 24/04/2003
Títulos: Campeão Paulista de 1953 e 1957