São Paulo F.C



Os dez jogos mais alternativos da história do Morumbi

A casa são-paulina recebeu algumas partidas bem peculiares, como as recentes entre seleções na Copa América

5232.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo, ao longo dos quase 60 anos de existência e 2341 partidas oficiais realizadas, já recebeu equipes um pouco distintas das que costumeiramente se apresentam no gramado dele. Casa do Tricolor e também tradicional local para jogos da Seleção Brasileira e clubes da capital paulista, o Morumbi foi palco de disputas bem alternativas.

Confira, abaixo, uma seleção das dez mais curiosas.

 

1. Uralan Elista 3 x 1 Haiti - 2000

Confronto válido pelo Torneio Internacional Constantino Cury, em 2000. A competição foi criada em homenagem ao ex-presidente do Tricolor, que falecera em julho de 1999 no exercício do cargo. Este jogo foi preliminar de São Paulo 3 x 2 Avaí, partida na qual, durante o primeiro tempo, os são-paulinos atuaram com um uniforme réplica do utilizado pelo CA Paulistano, nos anos 20.

  • 15.01.2000 – Torneio Internacional Constantino Cury
  • Gols do Uralan: Brener, 14/1; Dancenka, 5/2 e 44/2
  • Gol do Haiti: desconhecido

 

2. Avaí 3 x 2 Haiti - 2000

Também disputado pelo Torneio Constantino Cury, foi a disputa de terceiro lugar entre os derrotados da fase inicial. Como se nota, estes dois primeiros jogos foram tão alternativos que até encontrar dados e imagens das partidas é um trabalho complicado...

  • 17.01.2000 – Torneio Internacional Constantino Cury
  • Gols do Avaí: Missinho 5/1, Renatinho, 38/2; Dão, 46/2
  • Gols do Haiti: Menelas, 6/1; Pierre, 13/2

 

3. XV de Piracicaba 1 x 1 Portuguesa Santista - 1966

foto03.png

Essa partida, na verdade, não consta da relação de jogos oficiais da história do Estádio. Na realidade, ela é um complemento de outra, inicialmente disputada em Piracicaba no dia 3 de novembro de 1965, marcada por brigas e expulsões, e que foi encerrada com três minutos de antecedência devido a invasão de campo e agressão ao trio de arbitragem e a jogadores do time visitante. A Portuguesa Santista recusou-se a continuar o jogo, após o fato, e os minutos finais foram, assim, realizados no Morumbi, no ano seguinte. O curto tempo em que a bola rolou no estádio são-paulino: 0 a 0.

  • 15.01.1966 – Campeonato Paulista de 1965
  • XV de Piracicaba: Badé; Virgílio, Pescuma, Neguito e Dorival; Neves e Benê; Tabai, Proti, Picolé e Sabino. Técnico: Filpo Nuñez.
  • Portuguesa Santista: Cláudio; Alberto, Adelson, Osmar e Marçal; Dé e Pereirinha; Badá, Valdir, Lio e Vicente. Técnico: Adelmo Begliomini
  • Árbitro: José Astolphi
  • Público: catracas abertas
  • Renda: não foram cobrados ingressos

 

4. Raja Casablanca 3 x 4 Al-Nassr - 2000

foto04.png

O confronto se deu no ano 2000. Os times marroquino e saudita chegaram a fazer, ainda, outras duas partidas no Estádio do Morumbi, cada um, mas só acumularam derrotas.

  • 07.01.2000 
  • Raja Casablanca: Mustapha Chadli; Redouane El Haimeur, Talal El Karkouri, Abdellatif Jrinou (Youssef Achami, 9/2) e Youssef Safri; Hicham Misbah, Mustapha Moustaoudia, Mohamed Khoubbache e Omar Nejjary (Hamid Nater, 31/1); Zakaria Aboub e Reda Ereyahi (Bouchaib El Moubarki, 9/2). Técnico: Fathi Jamal
  • Gols: Omar Nejjary, 25/1; Bouchaib El Moubarki, 22/2; Talal El Karkouri, 29/2
  • Al-Nassr: Mohammed Babkr (Mahdi Al Dosari, 28/1); Mohsin Al Harthi, Hadi Sharify, Ibrahim Al Shokia e Abdallah Al Karni (Nassip Al Ghamdi, 26/2); Mansour Al Mousa, Mousa Saib, Fahad Al Husseini (Fahad Mehalel, 31/2); Ahmed Bahji, Fuad Al Amin e Muhaisen Al Dosari. Técnico: Milan Zivadinovic
  • Gols: Fuad Al Amin, 10/1; Ahmed Bahji, aos 4/2; Fahad Al Husseini, 6/2; Mousa Saib, aos 40/2
  • Árbitro: Derek Rugg (NZL)
  • Cartão amarelo: Hicham Misbah (Raja)
  • Cartão vermelho: Youssef Safri (Raja)
  • Público: 3.000 – partida preliminar
  • Renda: desconhecida

 

5. Colômbia 1 x 0 Catar - 2019

foto05.jpg

Na despedida do Morumbi da Copa América de 2019, Colômbia e Catar se enfrentaram no estádio são-paulino pela segunda rodada da competição sul-americana. Foi a estreia catariana neste gramado. Já os colombianos estiveram ali presentes no ano de 2000, em um jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, quando a Seleção Brasileira venceu por 1 a 0, em partida até hoje lembrada pela chuva de bandeirinhas atiradas ao camo pelos torcedores nas arquibancadas, ao apito final do árbitro. 

  • 19.06.2019 – Copa América
  • Colômbia: Ospina; Medina (Santiago Arias), Davinson Sánchez, Mina e Tesillo; Barrios, Uribe e Cuadrado (Falcao Garcia); James Rodríguez, Zapata e Martínez (Luis Díaz). Técnico: Carlos Queiroz
  • Gols: Zapata, 40/2.
  • Catar: Al-Sheeb, Pedro Miguel, Hisham, Salman e Hassan; Madibo, Khoukhi, Al-Haydos (Ahmad) e Hatem (Karim Boudiaf); Akram Afif e Almoez Abdulla. Técnico: Félix Sánchez
  • Árbitro: Alexis Herrera (VEN); Assistentes: Luis Murillo (VEN) e Nicolas Tarán (URU)
  • Cartões amarelos: Uribe (COL); Madibo, Hassan, Pedro Miguel, Akram Afif (CAT)
  • Público: 22.079 pagantes, 2.683 não pagantes; 24.762 total
  • Renda: R$ 5.385.300,00

 

6. Chile 4 x 0 Japão - 2019

foto06.jpg

Após sediar a abertura da Copa América de 2019, com jogo do Brasil contra a Bolívia (vitória brasileira por 3 a 0), o Morumbi recebeu as equipes chilena e japonesa para mais uma partida da primeira rodada da primeira fase da competição. O Chile, que já havia jogado na casa são-paulina em 1970, perdendo para a Seleção Brasileira por 5 a 0, dessa vez fez um bom jogo contra os estreantes neste território, vencendo por 4 a 0 e quase zerando o saldo histórico no "Cícero Pompeu de Toledo".

  • 17.06.2019 – Copa América
  • Chile: Arias; Isla, Gary Medel, Maripán e Beausejour; Pulgar, Aránguiz e Arturo Vidal (Pablo Hernández, 32/2); Fuenzalida (Opazo, 33/2), Vargas e Alexis Sánchez (Junior Fernandes, 41/2). Técnico: Reinaldo Rueda.
  • Gols: Erick Pulgar, 40/1; Eduardo Vargas, 8/2 e 37/2; e Alexis Sánchez, 36/2
  • Japão: Osako; Tomiyasu, Naomichi Ueda e Nakayama (Abe, 21/2); Shibasaki, Hara, Kubo e Sugioka; Maeda (Miyoshi, 20/2), Ayase Ueda (Okazaki, 33/2) e Nakajima. Técnico: Hajime Moriyasu.
  • Árbitro: Mario Diaz de Vivar (PAR); Assistentes: Eduardo Cardozo (PAR) e Dario Gaona (PAR)
  • Cartões amarelos: Hara e Nakayama (JAP)
  • Público: 23.253 pagantes
  • Renda: R$ 4.705.020,00

 

7. Peñarol 4 x 1 San Lorenzo - 1975

foto07.png

O São Paulo Futebol Clube, aproveitando-se do gigantismo do Morumbi, há poucos anos concluído, promoveu em 1975 uma competição amistosa internacional denominada Copa São Paulo - oficialmente I Copa São Paulo de Futebol (mas nunca ouve uma segunda edição). O Tricolor convidou o Peñarol do Uruguai, o San Lorenzo da Argentina e o Corinthians para o torneio, de tiro curto. No dia 1º de fevereiro, o São Paulo venceu o Peñarol, por 2 a 0 e o Corinthians derrotou o San Lorenzo, por 1 a 0. Assim, os convidados estrangeiros entraram em campo no dia seguinte, no Morumbi, para a decisão de 3º e 4º lugares: e deu Peñarol, de goleada.

  • 02.02.1975 – Copa São Paulo de Futebol Internacional
  • Peñarol: Corbo; Mário Gonzalez (Pires), Garisto, Peruena e Sories; Valter Garcia e Silva; Quevedo (Barbosa), Unanue, Morena e Galilea (Luize)
  • Gols: Galilea, 41/1; Morena, 8/2; Blandi (contra), 10/2; Valter Garcia, 12/2
  • San Lorenzo: Agostín; Glaria, Pires (Blandi), Malete e Izamat; Telch (Pitarch), Chazareta e Cocco; Pinasco, Zélio (Beltran) e Mendonza.
  • Gol: Pitarch, 22/1
  • Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschilia
  • Público: desconhecido – partida preliminar
  • Renda: desconhecida

 

8. Mogi Mirim 2 x 0 Tanabi - 1985

foto08.png

A fase final do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1985, envolvendo Mogi Mirim, Novorizontino, Taubaté e Tanabi, foi inteiramente disputada em estádios neutros na capital do estado. Os seis jogos do “turno” foram disputados no Parque Antártica (1ª e 3ª rodada) e no Morumbi (2ª rodada), enquanto que os seis do “returno”, no Pacaembu. No mesmo dia que Mogi Mirim e Tanabi se enfrentaram, no estádio do Tricolor, também jogaram Novorizontino e Taubaté, na preliminar, com vitória do primeiro, por 2 a 0. A partida aqui ilustrada, todavia, foi escolhida pelo fato do Tanabi nunca ter alcançado a primeira divisão do futebol paulista.  

  • 01.12.1985 – Campeonato Paulista da Segunda Divisão
  • Mogi Mirim: Fernando; Ederson, Magalhães, Roberto e Haroldo; Chicão, Henrique e Osmarzinho; Silvinho, Donizete e Eliel (Oscarzinho).
  • Gols: Osmarzinho, 21/2; Silvinho, 44/2
  • Tanabi: Durval; Jorge, Camilo, Ataliba e Cleto (Mauro); Lacerda, Biro e Brancam (Lula); Teco, Marco Aurélio e Sídnei.
  • Árbitro: Antonio de Padua Sales
  • Público: 3.009 pagantes
  • Renda: Cr$ 33.909.000,00

 

9. Bragantino 2 x 0 Bahia - 2010

foto09.png

O Bragantino, atendendo a uma proposta de empresário, convencido a atrair o público baiano radicado na Capital Paulista, resolveu mandar um jogo da segunda divisão do Brasileirão de 2010 no Estádio do Morumbi. Se em termos atrativos, a empreitada não deu certo - apenas quase cinco mil torcedores compareceram - dentro das quatro linhas, o time do interior de São Paulo não se deu mal: venceu o Bahia, que conseguiu o acesso naquela temporada, por 2 a 0.

  • 27.11.2010 – Campeonato Brasileiro Série B
  • Bragantino: Vitor; Murilo Silva, Júnior Lopes, Marcos Aurélio e Everaldo; Éder, Júlio César, Silas e Silvio (Thiaguinho, 29/1); Léo Jaime (Thiago Cunha, 28/2) e Fabricio Carvalho (Marcelinho, 35/2). Técnico: Marcelo Veiga
  • Gols: Léo Jaiime, 6/2; Fabrício Carvalho, 29/2
  • Bahia: Omar (Fernando, 38/2); Arilton, Vagner, Nen e Felipe (Pablo, 21/2); Fábio Bahia, Marcone, Lenine (Diego Santos, 37/2), e Vander; Everton e Jael. Técnico: Márcio Araújo
  • Árbitro: Wagner Reway; Assistentes: Lincoln Ribeiro Taques e Paulo César Silva Faria (MT)
  • Cartões amarelos: Júlio César, Murilo Silva, Marcelinho (BRA)
  • Público: 4.939 pagantes
  • Renda: R$ 107.835,00

 

10. Combinado Brasileiro 1 x 1 Combinado Estrangeiro – 1976

foto10.png

Em 1976, o Fluminense tentava convencer o craque holandês Cruyff a jogar no Brasil. Para agradar o astro, ajudou a promover duas partidas amistosas com dois combinados de jogadores, um brasileiro e outro estrangeiro. A programação contava com churrascaria, rodas de samba, hoteis de primeira linha com tudo pago. Um alto investimento. O primeiro jogo foi no Morumbi, no dia 2 de junho, e o segundo no Maracanã, no dia 6 (vitória brasileira por 2 a 1). O clube carioca, contudo, viu o atleta desaprovar a cidade carioca: "Se isto é o Rio quero voltar para Barcelona” (disse ao Jornal do Brasil) - Cruyff e esposa se espantaram com a Favela da Maré, ao lado do aeroporto do Galeão, e o cheiro que exalava do Gasômetro, em São Cristóvão, dentre outras picuinhas. No final das contas, o time carioca nem chegou a formalizar uma proposta.

  • 02.06.1976 – Amistoso Internacional
  • Combinado Brasileiro: Renato; Toninho (Odair), Rondinelli, Arlindo, Rodrigues, Neto, Clodoaldo, Ademir da Guia (Brecha), Vaguinho (Nei), Enéias (Lance), André (Dé) e Ziza.
  • Gol: Toninho, 18/2
  • Combinado Estrangeiro: Baley; Ropero, Figueroa, Galindo, Carrascosa, Ardiles, Pedro Rocha, Amancio (Gueniche), Brindisi (Válter Ferreira, depois Dogliani), Cruyff e Cristiani.
  • Gol: Cruyff, 10/1
  • Árbitro: Romualdo Arppi Filho
  • Público: 35.385 pagantes
  • Renda: Cr$ 938.635,00