São Paulo F.C



Enciclopédia: Melhores Temporadas

Quando o São Paulo teve seu melhor ataque, a melhor defesa, a melhor campanha

1946_paulista.jpg

Por Arquivo Histórico do São Paulo FC

O São Paulo Futebol Clube possui inúmeras glórias e conquistas. Algumas delas, contudo, podemos facilmente numerar. São 41 títulos de futebol de competições oficiais. 12 destes em campeonatos internacionais. Somente em 1993 o Tricolor conquistou quatro títulos oficiais (todos internacionais) e outros quatro não-oficiais - um recorde até hoje.

Porém, os grandes feitos do São Paulo não são somente exibidos em taças e troféus. Muitas vezes belos times deixaram para a posteridade feitos dignos de nota que, entretanto, acabaram perdidos da memória em meio a tantas outras vitórias.

Tratemos aqui então de realçar algumas campanhas marcantes alcançadas pelo São Paulo, temporada por temporada em números gerais, como mandante e visitante.

 

  • GERAL

Temporadas com mais jogos

Temporada J V E D GM GS SG %P MM MS
1978 100 44 32 24 132 90 42 54,67 1,32 0,90
1993 97 47 28 22 163 95 68 58,08 1,68 0,98
1994 92 42 26 24 159 119 40 55,07 1,73 1,29
1981 89 45 21 23 135 75 60 58,43 1,52 0,84
2016 89 31 22 36 99 95 4 43,07 1,11 1,07

Convém notar que a noção de temporada é diferente da noção de ano. Uma temporada pode terminar no ano seguinte, e foi isso que aconteceu com a temporada de 1978. Se for considerado somente o ano de 1978, os jogos foram, curiosamente, 78. Em 2016, o São Paulo fez 89 jogos e emplacou a quarta mais longa temporada da história do clube em termos de partidas, como em 1981 e superando 1977. Isto graças a atuação do time sub-20 na Copa Paulista, competição oficial profissional que deve ser aqui também contabilizada.  

 

Temporadas com maiores aproveitamentos de pontos

Temporada J V E D GM GS SG %P MM MS
1946 38 30 4 4 123 50 73 82,46 3,24 1,32
1931 28 21 6 1 99 33 66 82,14 3,54 1,18
1933 34 25 5 4 127 45 82 78,43 3,74 1,32
1943 46 32 9 5 136 51 85 76,09 2,96 1,11
1932 17 12 2 3 53 22 31 74,51 3,12 1,29

As melhores temporadas da história do clube em termos de desempenho e aproveitamento de pontos. O time de 1946 foi Campeão Paulista invicto. Feito que só foi repetido, em competições com dez jogos ou mais, justamente em 2012, com a conquista da Copa Sul-Americana.

O time base de 1946: Gijo; Piolim e Renganeschi; Rui, Bauer e Noronha; Luizinho, Sastre, Leônidas, Remo e Teixeirinha. O técnico era Joreca.

 

Temporadas com maiores médias de gols marcados

Temporada J V E D GM GS SG %P MM MS
1933 34 25 5 4 127 45 82 78,43 3,74 1,32
1931 28 21 6 1 99 33 66 82,14 3,54 1,18
1946 38 30 4 4 123 50 73 82,46 3,24 1,32
1932 17 12 2 3 53 22 31 74,51 3,12 1,29
1944 42 29 6 7 130 63 67 73,81 3,10 1,50

Os anos 30 e 40 foram pródigos em gols para o São Paulo. Além destas cinco temporadas apresentadas, outras duas tiveram média superior a 3 gols por jogo (1942 e 1945). Nos anos 40, muito do mérido era de Leônidas, Sastre e demais jogadores da linha avançada. Nos anos 30, feitos de Friedenreich, Araken Patusca e Waldemar de Brito. Curiosamente um jogador de frente esteve presente em ambos os períodos: Luizinho.

O time base de 1933: José (Moreno); Sylvio Hoffmann e Barthô (Iracino); Orozimbo (Ferreira), Zarzur e Rapha; Luizinho, Armandinho, Waldemar de Brito, Araken e Hércules (Patrício).

 

Temporadas com menores médias de gols sofridos

Temporada J V E D GM GS SG %P MM MS
1975 72 42 24 6 104 40 64 69,44 1,44 0,56
1974 67 31 27 9 87 42 45 59,70 1,30 0,63
1973 81 30 36 15 86 54 32 51,85 1,06 0,67
2007 79 46 18 15 133 54 79 65,82 1,68 0,68
1989 57 27 23 7 82 39 43 60,82 1,44 0,68

O time armado defensivamente por Poy é até hoje insuperável nesse aspecto. Por três temporadas apresentou espetacular média de gols sofridos. Algo que somente foi repetido, e por alguns meses, em 2007 - Ao fim da temporada a média de gols sofridos do time de Muricy acabou subindo um pouco. A equipe dos anos 70, aliás, detém o recorde de jogos invictos do São Paulo: 47 jogos sem perder.

Time base de 1975: Waldir Peres; Nélson, Paranhos, Samuel e Gilberto; Chicão, Pedro Rocha e Terto; Muricy, Serginho e Zé Carlos (Silva).

 

  • MANDANTE

Temporadas com maiores aproveitamentos de pontos

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1933 17 16 0 1 82 20 62 94,12 4,82 1,18
1950 17 14 2 1 58 21 37 86,27 3,41 1,24
1934 19 16 1 2 65 23 42 85,96 3,42 1,21
1931 18 14 4 0 66 19 47 85,19 3,67 1,06
1945 15 12 2 1 57 19 38 84,44 3,80 1,27

No antigo campo da Chácara da Floresta, o São Paulo era invencível. Em verdade, foi preciso dois anos e meio para um adversário conseguir vencer o São Paulo em seus domínios. A primeira derrota só aconteceu em 8 de maio de 1932 (Palestra 3x2). Assim, não causa estranheza o fato de que, como mandante, os três dos cinco melhores aproveitamentos de pontos do clube tenham acontecido justamente lá.

 

Temporadas com maiores médias de gols marcados

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1933 17 16 0 1 82 20 62 94,12 4,82 1,18
1945 15 12 2 1 57 19 38 84,44 3,80 1,27
1931 18 14 4 0 66 19 47 85,19 3,67 1,06
1934 19 16 1 2 65 23 42 85,96 3,42 1,21
1950 17 14 2 1 58 21 37 86,27 3,41 1,24

Novamente destaque para o time de 1933, que obteve a espetacular média de 4,82 gols marcados em casa. Também, não poderia ser diferente, naquela temporada o São Paulo fez, nada mais, nada menos, que 17 goleadas em 34 jogos disputados, de modo geral. METADE! Incluindo placares como um 12x1 (no Internacional de São Paulo) e massacres em cima de grandes times daquele tempo (4x1, 5x1 e 6x2 no Santos; 5x1 no Vasco da Gama, 7x3 no Flamengo, 7x4 no América, 3x0 e 5x2 no Fluminense e 6x1 no Corinthians).

 

Temporadas com menores médias de gols sofridos

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1975 36 24 9 3 58 14 44 75,00 1,61 0,39
1983 35 25 8 2 67 16 51 79,05 1,91 0,46
1989 24 14 8 2 37 13 24 69,44 1,54 0,54
2012 40 31 6 3 84 22 62 82,50 2,10 0,55
1972 29 19 8 2 51 16 35 74,71 1,76 0,55

Como não destacar a defesa são-paulina, formada por Rogério Ceni, Rafael Toloi, Rhodolfo e outros, que em 2012 conseguiu entrar para a história como uma das melhores do Tricolor como mandante? Algo curioso a se levantar é o fato de que, entre as cinco melhores, somente uma defesa teve também um ótimo ataque ao seu lado (superior a dois gols por jogo), justamente a da temporada de 2012.

 

  • VISITANTE

Temporadas com maiores aproveitamentos de pontos

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1946 18 16 1 1 63 22 41 90,74 3,50 1,22
1943 24 20 1 3 77 27 50 84,72 3,21 1,13
1931 10 7 2 1 33 14 19 76,67 3,30 1,40
1930 15 10 3 2 45 17 28 73,33 3,00 1,13
1949 26 18 3 5 76 31 45 73,08 2,92 1,19

*1932 e 1935 não foram considerados por terem uma quantidade de jogos muito pequena.

O grande time do São Paulo da década de 40 apelidado de Rolo Compressor fazia justo ao apelido, principalmente fora de casa. De 1943 a 1950, somente em 1947 o Tricolor não possuiu mais de 60% de aproveitamento de pontos fora de casa. Em 1946 a taxa superou 90%! Um visitante verdadeiramente indigesto.

 

Temporadas com maiores médias de gols marcados

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1942 12 7 2 3 44 19 25 63,89 3,67 1,58
1946 18 16 1 1 63 22 41 90,74 3,50 1,22
1931 10 7 2 1 33 14 19 76,67 3,30 1,40
1943 24 20 1 3 77 27 50 84,72 3,21 1,13
1930 15 10 3 2 45 17 28 73,33 3,00 1,13

Leônidas da Silva chegou ao São Paulo em 1942 e pôs terror nos adversários, mesmo fora de casa. Até sua estreia, e desde 1936, os números do ataque são-paulinos em nada lembravam o áureo periodo da Chácara da Floresta. Com Leônidas, e outros, o São Paulo ressurgiu como um clube verdadeiramente grande, para nunca mais deixar esse patamar.

Time base de 1942: Doutor; Fiorotti e Virgílio; Lola, Noronha e Silva; Luizinho, Waldemar de Brito, Leônidas, Remo e Pardal.

 

Temporadas com menores médias de gols sofridos

Temporadas J V E D GM GS SG %P MM MS
1973 53 18 22 13 50 35 15 47,80 0,94 0,66
1974 37 16 16 5 44 25 19 57,66 1,19 0,68
1975 36 18 15 3 46 26 20 63,89 1,28 0,72
2007 41 21 11 9 63 30 33 60,16 1,54 0,73
1990 36 14 10 12 33 27 6 48,15 0,92 0,75

Algo a notar é o desempenho do clube fora de casa na temporada de 1990. Naquele ano o time foi vice-campeão brasileiro, mas também foi muito mal no campeonato paulista. A defesa sofria poucos gols, contudo o ataque não ajudava... Enfim, novamente a defesa dos anos 70, montada por Poy, é o grande destaque desse quadro de jogos como visitante.

Time base de 1973: Sérgio; Nelson, Mário, Arlindo e Gilberto Sorriso; Chicão e Pedro Rocha; Terto, Mirandinha, Zé Carlos e Piau.