São Paulo F.C



O São Paulo nos Jogos Olímpicos de 1952

Um medalhista de ouro, mais três atletas e dois treinadores: a comitiva são-paulina em Helsinque

adhemar-ferreira-logo-spfc.jpg

Por COI - Adhemar Ferreira da Silva, o recorde mundial e a o escudo do São Paulo nos Jogos Olímpicos

Os Jogos Olímpicos de Verão de 1952, os jogos da XV Olimpíada, marcaram a mais importante conquista olímpica da história do São Paulo Futebol Clube: a vitória de Adhemar Ferreira da Silva, no salto triplo, que rendeu a delegação brasileira uma medalha de ouro que não ocorria desde 1920!

Realizado em Helsinque (cidade finlandesa que abrigaria os Jogos de 1940, que não foram realizados por causa da II Guerra Mundial), o evento de 1952 ocorreu entre 19 de julho e 3 de agosto daquele ano, e contou, ao todo, com 19 modalidades esportivas que consagraram Estados Unidos (40 ouros, 19 pratas, 17 bronzes, total de 76 medalhas), União Soviética (22 ouros, 30 pratas, 19 bronzes, total de 71 medalhas) e Hungria (16 ouros, 10 pratas, 16 bronzes, total de 42 medalhas) como os principais vencedores.

A delegação brasileira, composta por 108 atletas (103 homens e cinco mulheres) em 15 esportes, conquistou três medalhas: uma de ouro – a do são-paulino Adhemar Ferreira –, e duas de bronze – com o atleta José Telles da Conceição (Flamengo), no salto em altura; e o nadador Tetsuo Okamoto (Yara Clube de Marília), nos 1.500 metros livres –, e terminou na 24ª colocação no quadro de medalhas.

A comitiva são-paulina foi composta por quatro atletas: Adhemar Ferreira da Silva, que disputou os Jogos pela segunda vez, e Wanda dos Santos, no atletismo, Pedro Galasso e Lucio Grottone, no boxe. A equipe brasileira também contou com dois técnicos do Tricolor: Dietrich Gerner, para o atletismo, e Aristides Jofre, para o boxe.

Além da enorme conquista de Adhemar Ferreira da Silva, vale destacar o bom desempenho de Wanda dos Santos, uma das únicas cinco mulheres da delegação brasileira nestes Jogos e que chegou nas semifinais dos 80 metros com barreiras, tendo disputado quatro provas de alto nível em um único dia (também competiu no salto em distância).

Grottone e Galasso, no boxe, também não fizeram feio: cada um saiu de Helsinque ao menos com uma vitória a mais no cartel.

ADHEMAR FERREIRA

Adhemar Ferreira da Silva
São Paulo, 29 de setembro de 1927
São Paulo, 12 de janeiro de 2001

Já experiente, Adhemar foi um verdadeiro titã na disputa do salto triplo nos Jogos de 1952. O atleta são-paulino não somente conquistou o ouro, mas o fez de forma espetacular, quebrando o antigo recorde mundial da modalidade nada menos que quatro vezes durante a disputa, entre os seis saltos que realizou na fase final. Aliás, foi o único, dentre os 35 competidores, a saltar acima dos 16 metros.

De quebra, Adhemar Ferreira da Silva ostentou o emblema do São Paulo na foto oficial do recorde mundial e ainda eternizou a chamada “volta olímpica”, quando, aplaudido de pé por todos presentes no estádio, saudou em retorno percorrendo toda a pista de atletismo, agradecendo o apoio da torcida local, que o adotou como favorito desde o início.

06-adhemar

Participação nos Jogos Olímpicos

- Atletismo: Salto Triplo (35 participantes)

23/07/1952: 10h – 1ª fase com uma única tentativa para obter 14,55 metros.

1º Adhemar Ferreira da Silva – 15,32 metros
2º Devonish, A. (VEN) – 15,24 metros
3º Scherbakov, L (URSS) – 15,05 metros

Os três acima, os únicos acima dos 15 metros, na classificatória.

23/07/1952: 15h – Fase final em seis saltos com 15 atletas que alcançaram 14,55 metros

Salto 1

1º Adhemar Ferreira da Silva – 15,95 metros
2º Nilsen, R. (NOR) – 15,13 metros
3º Scherbakov, L. (URSS) – 15,07 metros

Salto 2

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,12 metros – RECORDE MUNDIAL
2º Devonish, A. (VEN) – 15,52 metros
3º Ashbaugh, W (EUA) – 15,39 metros

Salto 3

1º Adhemar Ferreira da Silva – 15,54 metros
2º Scherbakov, L. (URSS) – 15,18 metros
3º Yamamoto, T. (JAP) – 14,57 metros

Salto 4

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,09 metros – SERIA RECORDE MUNDIAL, NÃO FOSSE O ANTERIOR
2º Scherbakov, L. (URSS) – 15,98 metros
3º Nielsen, R. (NOR) – 14,70 metros

Salto 5

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,22 metros – NOVO RECORDE MUNDIAL
2º Scherbakov, L. (URSS) – 15,84 metros
3º Ashbaugh, W. (EUA) – 15,38 metros

Salto 6

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,05 metros – TAMBÉM SERIA RECORDE MUNDIAL, MAS...
2º Iimuro, Y. (JAP) – 13,70 metros
Não houve outros saltos por desistências

Tabela geral de melhores saltos

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,22 metros – RECORDE MUNDIAL
2º Adhemar Ferreira da Silva – 16,12 metros – Um recorde mundial de vida curta
3º Adhemar Ferreira da Silva – 16,09 metros – Não fosse os dois acima, teria sido recorde mundial
4º Adhemar Ferreira da Silva – 16,05 metros – Não fosse os três acima, teria sido recorde mundial
5º Scherbakov, L. (URSS) – 15,98 metros – Não seria recorde mundial, não...
6º Adhemar Ferreira da Silva – 15,95 metros
7º Scherbakov, L. (URSS) – 15,84 metros
8º Adhemar Ferreira da Silva – 15,54 metros
9º Devonish, A. (VEN) – 15,52 metros
10º Ashbaugh, W. (EUA) – 15,39 metros

Classificação final

1º Adhemar Ferreira da Silva – 16,22 metros
2º Scherbakov, L. (URSS) – 15,98 metros
3º Devonish, A. (VEN) – 15,52 metros
4º Ashbaugh, W. (EUA) – 15,39 metros
5º Nilsen, R. (NOR) – 15,13 metros
6º Iimuro, Y. (JAP) – 14,99 metros
7º G. de Oliveira (BRA) – 14,95 metros
8º Norman, R. (SUE) – 14,89 metros
9º Hiltunen, R. (FIN) – 14,85 metros
10º Weinberg, Z. (POL) – 14,76 metros
11º Gerhardt, J. (EUA) – 14,69 metros
12º Ramos, R. (POR) – 14,69 metros
13º Larsen, P. (DIN) – 14,62 metros
14º Yamamoto, T. (JAP) -  14,57 metros
15º Ahman, A. (SUE) – 14,05 metros

Medalhistas:

Ouro: Adhemar Ferreira da Silva
Prata: Scherbakov, L (URSS)
Bronze: Devonish, A (VEN)

 

WANDA DOS SANTOS

 02-wanda

Wanda dos Santos
São Paulo, 27 de dezembro de 1931

Verdadeira atleta, no sentido amplo da palavra, Wanda dos Santos praticou de tudo um pouco – voleibol, handebol e basquetebol (onde jogou no Ypiranga) – antes de se aventurar no atletismo e obter grandes resultados, que a levaram ao cenário internacional. Antes dos Jogos de 1952, Wanda já havia conquistado a medalha de bronze no salto em distância no Pan-Americano de Buenos Aires, em 1951.

Em Helsinque, Wanda teve uma participação para lá de honrosa. Você lerá mais sobre Wanda dos Santos no especial “O São Paulo nos Jogos Olímpicos de 1960”, pois a são-paulina voltou aos Jogos, sendo, na realidade, a única brasileira naquele evento.

Participação nos Jogos Olímpicos

- Atletismo: 80 metros com barreira (33 participantes)

23/07/1952: 16h – Classificatória com seis corridas – Corrida 6

1ª Maria Golubitshnaia (URSS) – 11,1 segundos
2ª Wanda dos Santos – 11,3 segundos
3ª Yvette Monginou (FRA) – 11,3 segundos
4ª Elfriede Steurer (AUT) – 11,4 segundos
5ª Pauline Threapleton (GBR) – 11,9 segundos
6ª Gretel Bolliger (SUI) – 12,3 segundos

Wanda dos Santos se classificou para as semifinais

23/07/1952: 18h10 – Semifinais com duas corridas: as três melhores avançavam a final – Corrida 2

1ª Maria Golubitshnaia (URSS) – 11,2 segundos
2ª Francina Blankers-Koen (HOL) – 11,3 segundos
3ª Anneliese Seonbuchner (ALE) – 11,4 segundos
4ª Pamela Seaborne (GBR) – 11,4 segundos
5ª Wanda dos Santos – 11,4 segundos
6ª Claudie Flament (FRA) – 11,6 segundos

Wanda dos Santos não se classificou à final por um décimo de segundo, tempo que alcançou na preliminar.
Classificação final de Wanda dos Santos: 10º lugar.

Medalhistas:

Ouro: Shirley Strickland de la Hunty (AUS)
Prata: Marija Golubitshnaja (URSS)
Bronze: Maria Sander (ALE)

- Atletismo: Salto em distância (34 participantes)

23/07/1952: 10h – Classificatória em dois grupos. Mínimo de 5,30 metros – Grupo  2

1ª Yvette Williams (NZL) – 6,16 metros
2ª Mabel Landry (EUA) – 5,88 metros
3ª Nina Tshurkina (URSS) – 5,77 metros
4ª Wilhelmina Lust (HOL) – 5,63 metros
5ª Friedel von Nitzsch (ALE) – 5,62 metros
6ª Maire Österdahl (FIN) – 5,62 metros
7ª Irmgard Schmelzer (ALE) – 5,61 metros
8ª Valentina Litujeva (URSS) – 5,51 metros
9ª Adriana Millard (CHL) – 5,49 metros
10ª Greta Magnusson (SUE) – 5,45 metros
11ª Constance Willoughby (GBR) – 5,44 metros
12ª Wanda dos Santos – 5,35 metros
13ª Ayako Yoshikawa (JAP) – 5,34 metros
14ª Dawn Josephs (CAN) – 5,34 metros
15ª Tamar Mettal (ISR) – 5,16 metros
16ª Kathleen Russell (JAM) – 5,10 metros
17ª Rosella Thorne (CAN) – desqualificada

Wanda dos Santos se classificou para a fase final

23/07/1952: 16h50 – Fase final em seis saltos com 24 atletas que alcançaram 5,30 metros

Wanda dos Santos, que 50 minutos antes havia disputado a classificatória dos 80 metros com barreira, cansada, foi eliminada após três tentativas e as seguintes marcas: 5,36 metros, 5,30 metros e 5,21 metros. Terminou em 21º lugar.

Classificação final

1ª Ivette Williams (NLZ) – 6,24 metros
2ª Aleksandra Tshudina (URSS) – 6,14 metros
3ª Shirley Cawley (GBR) – 5,92 metros
4ª Irmgard Schmelzer (ALE) – 5,90 metros
5ª Wilhelmina Lust (HOL) – 5,81 metros
6ª Nina Tshurkina (URSS) – 5,81 metros
7ª Mabel Landru (EUA) – 5,75 metros
8ª Verna Johnson (AUS) – 5,74 metros
9ª Maire Österdahl (FIN) – 5,73 metros
10ª Olga Gyarmati (HUN) – 5,67 metros
11ª Valentina Litujeva (URSS) – 5,65 metros
12ª Elzbieta Dunska (POL) – 5,65 metros
13ª Adriana Millard (CHL) – 5,59 metros
14ª Friedel von Nitzsch (ALE) – 5,57 metros
15ª Leni Hofknecht (ALE) – 5,55 metros
16ª Ayako Yoshikawa (JAP) – 5,54 metros
17ª Dawn Josephs (CAN) – 5,47 metros
18ª Gladys Erbetta (ARG) – 5,47 metros
19ª Constance Willoughby (GBR) – 5,44 metros
20ª Greta Magnusson (SUE) – 5,43 metros
21ª Wanda dos santos – 5,36 metros
22ª Thelma Jones (BMD) – 5,33 metros
23ª Yvonne Curtet (FRA) – 5,28 metros
24ª Helena Cardoso de Menezes (BRA) – 4,98 metros

Medalhistas:

Ouro: Yvette Williams (NZL)
Prata: Aleksandra Tshudina (URSS)
Bronze: Shirley Cawley (GBR)

 

PEDRO GALASSO

 04-galasso

Pedro Galasso
São Paulo, 19 de janeiro de 1930
São Paulo, 5 de agosto de 2007

Nascido no bairro do Bixiga, em São Paulo, Pedro começou a carreira de pugilista com o treinador Waldemar Zumbano, quando este ainda estava a serviço do Clube Espéria. Pouco depois, Galasso entrou na academia de Kid Jofre, no São Paulo FC e se tornou campeão de novíssimos, novos, paulista e brasileiro. Tomou parte na delegação brasileira nos jogos sul-americanos de 1949, em Santiago. Após os Jogos Olímpicos de 1952, Galasso ainda foi campeão latino-americano como amador, em Montreal/1953. Como profissional, foi o primeiro brasileiro a conquistar um título internacional na categoria “peso pena”, o sul-americano de 1958.

Participação nos Jogos Olímpicos

- Boxe: Peso pena

28/07/1952 – 1ª rodada classificatória

Pedro Galasso (Brasil) x Ishimaru, T. (Japão)
Vitória de Pedro Galasso por pontos: 3 a 0.

29/07/1952 – 2ª rodada classificatória (Oitavas de Final)

Pedro Galasso (Brasil) x Drogosz, L. (Polônia)
Vitória de Drogosz, L, da Polônia, por 3 a 0 nos pontos.

Pedro Galasso não conseguiu se classificar para as quartas de final.

Medalhistas:

Ouro: Zachara, J. (TCH)
Prata: Caprari, S. (ITA)
Bronze: Ventaja, J. (FRA) e Leisching, I. (AFS)

 

LUCIO GROTTONE

05-grottone

Lucio Grottone
Santos, 9 de novembro de 1928

Comerciante de profissão, Lucio Grottone começou a praticar o pugilismo em 1946, nos porões de uma academia de Santos e na Polícia Marítima. Com o tempo passou a frequentar a Portuguesa Santista. Rapidamente, com a evolução de seu boxe, veio para o São Paulo FC treinar com Kid Jofre. Assim, conquistou a medalha de prata no Pan-Americano de Buenos Aires, em 1951, na categoria meio pesado. Encerrou a carreira em 1954, com um cartal de 50 lutas e somente quatro derrotas. 

Participação nos Jogos Olímpicos

- Boxe: Meio pesado

29/07/1952 – Oitavas de final

Lucio Grottone (BRA) x Lingäs, B. (NOR)
Vitória de Lucio Grottone por 2 a 1 nos pontos

31/07/1952 – Quartas de final

Lucio Grottone (BRA) x Pacenza, A. (ARG)
Vitória do argentino Pacenza por 3 a 0 nos pontos

Lucio Grottone não conseguiu se classificar para as semifinais, perdendo a vaga para o futuro medalhista de prata.

Medalhistas:

Ouro: Lee. N. (EUA)
Prata: Pacenza, A. (ARG)
Bronze: Perov, A. (URSS) e Siljander, H. (FIN)

 

SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE NOS JOGOS OLÍMPICOS

Calendário das matérias especiais