São Paulo F.C



Dinastia de grandes técnicos estrangeiros

Ao longo dos anos, Tricolor foi dirigido por treinadores renomados de outros países, como Béla Guttmann e Jose Poy

Novo técnico do Tricolor para a sequência da temporada 2015, Juan Carlos Osorio chega ao São Paulo com a missão de manter a busca pelo heptacampeonato brasileiro e brigar pelo título inédito da Copa do Brasil. E o histórico de treinadores estrangeiros no comando do time mostra que o colombiano pode trilhar um caminho vitorioso.

De Ramón Platero a Roberto Rojas, a equipe são-paulina coleciona grandes nomes de profissionais de outros países que brilharam no Tricolor. O uruguaio Platero, em 1930, foi o primeiro estrangeiro a dirigir o São Paulo. Daí em diante, mais onze técnicos de outras nacionalidades assumiram o Tricolor. Entre eles, dois marcaram época e foram eternizados pela torcida: Béla Guttmann e Jose Poy.

O húngaro Béla Guttmann, nascido em Budapeste, revolucionou o futebol mundial ao lançar um novo sistema tático de jogo. No São Paulo, seus métodos de treinamento também causaram, a princípio, muita estranheza. Foi dele a ideia de se adotar a divisão das traves em zonas numeradas para se treinar a pontaria dos atacantes. Também implantou o treinamento tático e técnico com o uso de várias bolas em campo - ou seja, cada jogador com sua bola. Foi Campeão Paulista de 1957 antes de retornar ao Velho Continente - quando voltou à Europa se consagrou no Benfica.

Já o argentino, nascido em Rosario, colecionou quatro passagens no comando do time. Entre os principais feitos do goleiro e técnico são-paulino Jose Poy está o recorde de invencibilidade do São Paulo. Foram 47 jogos sem derrota com Poy no banco de reservas (36 vitórias e 11 empates) de 1974 a 1975. Era temido pelos atletas por sua rigidez. Muricy Ramalho sempre lembrava das broncas e das regras de Poy, que implicava com os cabelos compridos de Muricy, moda na época. Campeão Paulista de 1975, Poy ainda dirigiu a equipe em 1964-1965 e 1971-1972.

Antes de Osorio, que ganhou notoriedade no futebol colombiano, Roberto Rojas foi o último técnico estrangeiro no banco de reservas tricolor. Ao lado de Milton Cruz, o ex-goleiro dirigiu o time em 2003 e recolocou o São Paulo na Libertadores da América de 2004 após dez anos. E que com a mesma passagem vitoriosa de seus antecessores, Osorio - o primeiro colombiano no banco de reservas do time - possa eternizar o seu nome no clube.

  • Confira a lista com os técnicos estrangeiros que já dirigiram o Tricolor:
  • Armando Renganeschi (argentino) - 56 jogos
  • Béla Guttmann (húngaro) - 97 jogos
  • Conrado Ross (uruguaio) - 49 jogos
  • Darío Pereyra (uruguaio) - 63 jogos
  • Eugenio 'Marinetti' Medgyessy (húngaro) - 13 jogos
  • Ignác Amsel (húngaro) - 15 jogos
  • Jim Lopes (argentino) - 111 jogos
  • Joreca (português) - 172 jogos
  • José Poy (argentino) - 422 jogos
  • Pablo Forlán (uruguaio) - 29 jogos
  • Ramón Platero (uruguaio) - 54 jogos
  • Roberto Rojas (chileno) - 52 jogos