São Paulo F.C



Campeão em 92, Elivélton recorda duelos com o Criciúma

Foi diante dos catarinenses, adversário do Tricolor nesta quinta (28), que o Tricolor iniciou a sua história na América

Elivélton

Por Arquivo histórico do São Paulo Futebol Clube

No dia 6 de março de 1992, no Estádio Heriberto Hülse, o Tricolor iniciava a sua história vitoriosa na América do Sul. Adversário do São Paulo na noite desta quinta-feira (28), na estreia do clube na Copa Sul-Americana, o time catarinense foi o primeiro rival da equipe são-paulina na edição da Libertadores daquele ano, que consagrou os comandados do técnico Telê Santana.

E um dos grandes nomes daquela conquista, o atacante Elivélton recorda com carinho os embates com o Tigre, que não deu vida fácil aos paulistas. Ao contrário. Logo na estreia - mesmo cenário desta noite -, os anfitriões bateram o São Paulo por 3 a 0 na rodada de abertura da competição internacional.

"Jogar contra o Criciúma era sempre difícil.  Eles tinham um bom time, queriam muito fazer uma grande Libertadores e nos deixou em algumas dificuldades. Perdemos o jogo de estreia, e lembro que a torcida deles empurrava muito o time. Enfrentá-los foi importante pra nós, porque despertamos na competição ali", recorda o centroavante.

De acordo com o ex-atacante, que defendeu o Tricolor em 149 jogos, o revés logo na estreia fez com que a equipe são-paulina 'acordasse' no torneio e ganhasse força para conquistar o título mais tarde, diante do Newell´s Old Boys-ARG.

"Toda derrota traz uma lição, mas aquela foi diferente. Aquele jogo mostrou que a gente tinha que evoluir. E foi justamente isso que aconteceu. Fomos campeões da Libertadores e isso foi histórico. Ficamos mais ligados e conseguimos fazer um grande campeonato", acrescenta Elivélton, que naquele ano ficou mais três vezes frente a frente com o Criciúma.

No jogo de volta da fase de grupos, com gols de Raí, Palhinha, Elivélton e Müller, o São Paulo goleou por 4 a 0. Depois, nas quartas de final, paulistas e catarinenses voltaram a se enfrentar. A vitória por 1 a 0 na ida, no Morumbi, e o empate por 1 a 1 na volta, em Criciúma, fizeram com que o Tricolor fosse adiante na competição.

Hoje, mais de 20 anos depois, Elivélton guarda na memória o início da década de 90 e prevê um confronto duro para o time são-paulino nesta quinta. "A Sul-Americana vai exigir bastante da equipe, porque o Criciúma vai querer dificultar o jogo. O São Paulo tem condições de almejar coisas maiores, mas terá que ter precaução", finaliza o ex-jogador, que acompanhará a partida pela televisão com os filhos, em Alfenas-MG.