São Paulo F.C



O São Paulo na Copa do Mundo de 1970

Gérson, o canhotinha de ouro, foi o representante do Tricolor no México

1970.jpg

Por Boletim CBD

A Copa do Mundo realizada no México, em 1970, foi uma edição cheia de novidades. Foi a primeira a ser televisionada em cores, contando com alguns jogos ao meio-dia (o que desagradou jogadores por causa do forte calor) para o público europeu acompanhar. Também foi a primeira a permitir substituições de jogadores durante as partidas - cada time poderia fazer duas alterações, assim como era novidade o fato dos árbitros agora indicarem as advertências em expulsões, ao público, com cartões amarelo e vermelho (esse último não chegou a ser utilizado, ninguém foi expulso em todo o evento).  

Com um total de 75 seleções inscritas para as Eliminatórias, as surpresas foram as desqualificações de Portugal, França, Hungria, Argentina e Espanha. Israel e Marrocos estrearam em Copas. O Brasil, apesar do fraco desempenho em 1966, era um dos favoritos à conquista do torneio. No grupo 3, encarou outro candidato ao título, a atual campeã mundial, Inglaterra. Os outros elementos mais fortes na disputa eram a Itália, campeã europeia, e o Uruguai, campeão sul-americano (ambas caíram no mesmo grupo 2), além da Alemanha Ocidental, no grupo 4.

O favoritismo se confirmou. Na semifinal, Uruguai e Brasil se encontraram. Na outra chave, Itália versus Alemanha Ocidental, que havia eliminado a Inglaterra nas quartas de final. A Seleção Brasileira venceu a Celeste por 3 a 1, enquanto que Itália e Alemanha protagonizaram o chamado "jogo do século", onde a Azurra vencia até os 90 minutos, quando deixou a seleção alemã empatar a partida. Na prorrogação, depois de incríveis cinco gols, a seleção da bota confirmou a vaga à final, vencendo por 4 a 3.

A final, realizada no Estádio Azteca da Cidade do México no dia 21 de junho, teve presença estimada de 108 mil pessoas. Se o primeiro tempo da partida entre Brasil e Itália foi parelho, terminando empatado em 1 a 1, o mesmo não pode se dizer da etapa complementar. Três gols para o time brasileiro e a consagração final: o título mundial estava garantido: 4 a 1. A primeira seleção tricampeã mundial garantiu a posse definitiva da Taça Jules Rimet (que posteriormente, no Brasil, seria furtada e derretida).

 

O SÃO-PAULINO

Gérson de Oliveira Nunes, o canhotinha de ouro, foi o representante do Tricolor nessa Copa do Mundo de 1970. Contratado no segundo semestre de 1969, Gérson também fez história no Tricolor: esteve na equipe que pôs fim ao jejum de títulos do clube ao conquistar o Campeonato Paulista de 1970 e o bis, em 1971. Participou de 75 jogos pelo São Paulo e marcou 11 gols.

Na Copa do Mundo, Gérson foi peça fundamental para a conquista do título, marcando talvez o gol mais importante do torneio: na final, o segundo gol do Brasil (o de desempate e que "abriu a porteira") contra a Itália. Foi dele também o incrível lançamento para o terceiro gol brasileiro nesse jogo.

O canhotinha esteve em campo com a camisa nº 8 da Seleção em 4 das 6 partidas do torneio - não jogou contra Inglaterra e Romênia.

O São Paulo não contou com nenhum jogador na lista de espera, de 40 nomes, registrada na FIFA. Somente teve Jurandyr, defensor, na que havia sido pré convocado, em lista anterior à final.

 

A CAMPANHA

Primeira Fase

  • 03/06 - Guadalajara - Brasil 4x1 Tchecoslováquia, gols de Rivellino, Pelé e Jairzinho;
  • 07/06 - Guadalajara - Brasil 1x0 Inglaterra, gol de Jairzinho;
  • 10/06 - Guadalajara - Brasil 3x2 Romênia, gols de Pelé (2) e Jairzinho;

Quarta de Final

  • 14/06 - Guadalajara - Brasil 4x2 Peru, gols de Rivellino, Tostão e Jairzinho;

Semifinal

  • 17/06 - Guadalajara - Brasil 3x1 Uruguai, gols de Clodoaldo, Jairzinho e Rivellino;

Final

  • 21/06 - C. do México - Brasil 4x1 Itália, gols de Pelé, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto.

 

A DELEGAÇÃO

  • Chefe da Delegação: Jerônymo Baptista Bastos;
  • Secretário da Delegação: Roberto Câmara Lima Ipiranga dos Guaranys;
  • Tesoureiro: Sebastião Martinez Alonso;
  • Presidente da Comissão Técnica: Antônio do Passo;
  • Assessor da Comissão Técnica: Tarso Heredia de Sá;
  • Treinador: Mário Jorge Lobo Zagallo;
  • Assistente Administrativo: Walter José dos Santos;
  • Delegados: Sylvio Corrêa Pacheco, Abílio de Almeida e José Ermírio de Moraes Filho;
  • Jornalista: Achilles de Abreu Chirol;
  • Preparadores Físicos: Admildo de Abreu Chirol, Carlos Alberto Gomes Parreira e Cláudio Pecego Coutinho;
  • Médicos: Dr. Lídio de Toledo e Dr. Mauro Pompeu de Souza Brasil;
  • Massagistas: Mário Américo;
  • Roupeiro: Abílio José da Silva "Nocaute Jack";
  • Cozinheiros: Mário Vieira da Rocha e Edgard Barbosa.

 

OS INSCRITOS

  • Goleiros: Félix (Fluminense), Leão (Palmeiras) e Ado (Corinthians);
  • Defensores: Carlos Alberto Torres (Santos), Everaldo (Grêmio), Britto (Flamengo), Joel Camargo (Santos), Fontana (Cruzeiro); Baldochi (Palmeiras), Zé Maria (Portuguesa) e Marco Antônio (Fluminense);
  • Meio-campistas: Clodoaldo (Santos), Gérson (São Paulo), Paulo Cezar (Botafogo), Rivellino (Corinthians) e Piazza (Cruzeiro);
  • Atacantes: Dadá Maravilha (Atlético Mineiro), Pelé (Santos), Tostão (Cruzeiro), Jairzinho (Botafogo), Edu (Santos) e Roberto Miranda (Botafogo).

 

FICARAM DE FORA

Lista de espera:

  • Goleiro: Cao (Botafogo);
  • Defensores: Alex (América-RJ), Pontes (Internacional), Eurico (Palmeiras), Ditão (Corinthians), Zé Carlos (América-RJ), Luiz Carlos (Corinthians) e Rildo (Santos);
  • Meio-campistas: Carlos Roberto (Botafogo), Dirceu Lopes (Cruzeiro), Zé Carlos (Cruzeiro) e Sérgio Galocha (Internacional);
  • Atacantes: Arílson (Flamengo), Claudiomiro (Internacional), Edu Antunes (América-RJ), Manoel Maria (Santos), Rogério (Botafogo, cortado dos 22) e Vaguinho (Atlético Mineiro).

Pré-Convocações:

  • Joel Mendes (Santos), Jurandyr (São Paulo), Miranda (Corinthians), Oldair (Atlético Mineiro), Pedrinho (Corinthians), Dionísio (Flamengo), Dario Guimarães (Atlético Mineiro), Carbone (Internacional), Toninho Guerreiro (São Paulo, cortado dos 40), Cláudio (Santos), Scala (Internacional, cortado dos 40) e Leônidas (Botafogo).