São Paulo F.C



O São Paulo na Copa do Mundo de 1966

Paraná, Bellini e Feola representaram o Tricolor no Mundial

1966-historia-futebol.jpg

Por A história ilustrada do futebol brasileiro - volume III

A Copa do Mundo de 1966 foi a primeira e única realizada no país criador do futebol, a Inglaterra. A FIFA escolheu esse país como sede em homenagem ao centenário da FA (The Football Association, a federação local e mais antiga seleção do esporte), ocorrido em 1963. Foi também a única vez que o time inglês se sagrou campeão, após a vitória em cima da Alemanha Ocidental, na prorrogação e com um gol polêmico que não teria atravessado a linha final.

Apesar do boicote de 16 países africanos, descontentes por não possuírem vaga direta à fase final da competição, as Eliminatórias da Copa tiveram número recorde de participantes: 70. Com participação garantida, por ter sido o campeão do torneio anterior, o Brasil era favorito para conquistar o tricampeonato, mas jogando muito abaixo do esperado, o time não passou nem da primeira fase, caindo novamente para a carrasca Hungria e para Portugal, de Eusébio.

Outra seleção que decepcionou o mundo, naquela ocasião, foi a Itália, também eliminada na primeira fase, tendo perdido para a Coréia do Norte, por 1 a 0, uma das partidas. A seleção asiática caiu nas quartas de final, ao lado de Argentina, Uruguai e Hungria. Inglaterra e Alemanha Ocidental chegaram à decisão depois de vencerem, respectivamente, o time português e a seleção soviética, por 2 a 1, nas semifinais.

 

OS SÃO-PAULINOS

Os jogadores tricolores que tomaram parte naquela edição foram Bellini e Paraná. O experiente zagueiro participava da terceira Copa do Mundo dele, agora com a camisa 4. Bellini entrou em campo nos dois primeiros jogos: vitória por 2 a 0 contra Bulgária e derrota por 3 a 1 para a Hungria.

Vestindo a camisa 21, o ponta Paraná somente participou do último jogo da Seleção na Copa de 66, a derrota para Portugal, por 3 a 1. Aguerrido, foi um dos poucos que não decepcionou naquele torneio. Pelo Tricolor fez 395 jogos e 41 gols, além de ter sido campeão paulista em 1970 e 1971.

Vicente Feola, treinador da Seleção Brasileira campeã do mundo em 1958 e que esteve em 1961 por problemas de saúde, voltou ao comando da equipe em 1966. Mas sem o trabalho e parceria de outro são-paulino famoso, Paulo Machado de Carvalho (que fora chefe da delegação nas duas copas anteriores), Feola não obteve o mesmo sucesso de antes.

O processo seletivo de convocação, por exemplo, foi tumultuado. Um dirigente da CBD teria dito que haviam poucos jogadores do Corinthians relacionados e sugerido a convocação de Ditão. Na hora de pôr os dados a limpo e enviá-los para a FIFA, alguém se confundiu e inscreveu outro jogador chamado Ditão, este do Flamengo. A CBD preferiu não corregir o erro e deixar por isso mesmo.

Nessa lista de 40 nomes, repassada à FIFA, ficaram na espera os são-paulinos Roberto Dias, zagueiro, e Fefeu, meio-campista. Fábio, goleiro do Tricolor, fora listado em pré-convocações, mas não tomou parte na relação final desses 40 jogadores.

 

A CAMPANHA

Primeira fase

  • 12/07 - Liverpool - Brasil 2x0 Bulgária, gols de Pelé e Garrincha
  • 15/07 - Liverpool - Húngria 3x1 Brasil, gol de Tostão
  • 20/07 - Liverpool - Portugal 3x1 Brasil, gol de Rildo

 

A DELEGAÇÃO

  • Chefe da Delegação: Jean-Marie-Faustin Godefroid de Havelange "João Havelange";
  • Supervisor: Carlos Nascimento;
  • Treinador: Vicente Feola;
  • Médico: Dr. Hilton Gosling;
  • Dentista: Mário Trigo de Loureiro;
  • Preparadores Físicos: Paulo Amaral e Rudolf Hermanny;
  • Observadores: Ernesto dos Santos e José de Almeida;
  • Massagista: Mário Américo.

 

OS INSCRITOS

  • Goleiros: Gylmar (Santos) e Manga (Botafogo);
  • Defensores: Altair (Fluminense), Djalma Santos (Palmeiras), Britto (Vasco da Gama), Bellini (São Paulo), Fidélis (Bangu), Orlando Peçanha (Santos), Paulo Henrique (Flamengo) e Rildo (Botafogo);
  • Meio-campistas: Lima (Santos), Denílson (Fluminense), Gérson (Botafogo) e Zito (Santos);
  • Atacantes: Paraná (São Paulo), Alcindo (Grêmio), Pelé (Santos), Tostão (Cruzeiro), Jairzinho (Botafogo), Edu (Santos), Garrincha (Corinthians) e Silva (Flamengo).

 

FICARAM DE FORA

Lista de espera:

  • Goleiros: Ubirajara Motta (Bangu) e Waldir (Palmeiras);
  • Defensores: Carlos Alberto Torres (Santos), Ditão (Flamengo), Djalma Dias (Palmeiras), Fontana (Vasco da Gama), Oldair (Vasco da Gama), Roberto Dias (São Paulo) e Leônidas (América-RJ)
  • Meio-campistas: Dino Sani (Corinthians), Dudu (Palmeiras) e Fefeu (São Paulo);
  • Atacantes: Amarildo (Milan), Flávio (Corinthians), Parada (Botafogo), Paulo Borges (Bangu), Rinaldo (Palmeiras) e Servílio (Palmeiras).

Pré-convocação:

  • Fábio (São Paulo), Murilo (Flamengo), Edson Cegonha (Corinthians), Ivair (Portuguesa), Bianchini (Botafogo), Célio (Vasco da Gama), Jair da Costa (Internazionale) e Nado (Náutico).