São Paulo F.C



Há 19 anos, o bicampeonato mundial

No dia 12 de dezembro de 1993, o São Paulo derrotou o Milan por 3 a 2 e sagrou-se bicampeão mundial de clubes

foto07.jpg

Por Fabio Salles/Agência estado

O ano de 1993 foi muito especial para o São Paulo. Se na temporada anterior o clube já havia sido campeão paulista, campeão da Libertadores da América e campeão mundial, em 1993 o Tricolor conquistou, por assim dizer, uma "quádrupla coroa", mais especificamente, uma "quádrupla coroa internacional".

O São Paulo foi campeão da Libertadores da América, da Recopa Sul-Americana, da Supercopa da Libertadores e do Mundial Interclubes, naquele ano. Fato e feito jamais igualados.

O Mundial Interclubes foi decidido contra o poderoso, quase mitológico, Milan. A partida, em verdade, era para ter sido realizada contra o Olympique de Marseille, mas o clube francês foi punido por um caso de corrupação e, assim, o Milan, vice-campeão europeu - mas na realidade a maior potência do futebol naquele momento no velho continente - foi o adversário do Tricolor naquele sagrado dia de 12 de dezembro de 1993.

Meio-dia no horário local (meia-noite no Brasil), a bola rolou. A pressão inicial foi implacável, Il rossoneri começaram melhor o jogo. Aos 13', acertaram o travessão e Zetti defendeu o rebote quase por sorte ou instinto. Somente aos 19' o São Paulo teve a primeira chance - abençoada chance -, em contra-ataque. Bastou.

André Luís, marcado por dois, acertou um lançamento para Cafu no outro lado campo. A bola quicou, se amaciou na medida certa e então o lateral, de prima, a cruzou para a área onde lá encontrou os pés do camisa 10, Palhinha, que a chutou para o fundo do gol. Foi aberto o placar, 1x0 São Paulo!

Os milanistas somente reagiram no segundo tempo. Aos 3', empataram com Massaro. Sem mudar o padrão de jogo, o Tricolor novamente contra-atacou. 14', Palhinha encontrou Leonardo livre pela esquerda, que driblou e tocou para Cerezo, dentro da pequena área, concluir. 2x1, Tricolor!

No desespero, a equipe italiana partiu para as jogadas áreas. Com 36' do segundo tempo, assim conseguiram o empate. Lástima? Tudo levava a crer que a decisão ocorreria na prorrogação. O time que jogou quase 100 partidas no ano suportaria?

A resposta veio aos 41' em forma de prova definitiva de que, se existe uma força maior no universo, ela era São Paulo Futebol Clube naquele dia. Müller, em jogada despretensiosa, ao saltar para escapar de um choque contra o goleiro, tocou de calcanhar a bola rebatida para o gol! São Paulo 3x2!

Ao apito do juiz, Tóquio, São Paulo e o Mundo mais uma vez tinham três cores. O zagueiro Ronaldão exprimiu o sentimento tricolor: "Ano passado, o supertime era o Barcelona. Este ano, o supertime era o Milan. Agora eu pergunto, se eles eram supertimes, o que era o São Paulo, afinal?"

O São Paulo Futebol Clube era bicampeão mundial!