São Paulo F.C



Brenner e Denilson: estreantes com futuro promissor

Diante do Atlético-PR, jovem dupla vestiu a camisa tricolor pela primeira vez e mostrou que poderá ajudar o time

9100.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Um foi contratado. O outro promovido das categorias de base. Em comum? Estrearam pelo Tricolor na noite da última quarta-feira (21) e deixaram boa impressão para um futuro promissor. Estes são os atacantes Denilson e Brenner, que diante do Atlético-PR (1 x 0) vestiram pela primeira vez a camisa do São Paulo.

Com boa movimentação na frente e finalizações, os dois tentaram ajudar a equipe são-paulina na Arena da Baixada e mostraram que poderão reforçar o time. “Claro que estou triste pela derrota, mas feliz por ter estreado. Infelizmente o resultado não veio. Espero ajudar a equipe, o professor Rogério e vamos sair dessa situação que estamos passando”, afirmou Denilson, que entrou após o intervalo no lugar de Cícero.

Assim como o camisa 41, o jovem Brenner também encarou os paranaenses. “Confesso que quando o Rogério me chamou deu um frio na barriga, mas depois do primeiro toque na bola fiquei mais tranquilo. Os jogadores me passaram muita confiança e conselhos para que tudo desse certo”, revelou o camisa 35, que está integrado ao elenco desde o início da semana.

Brenner marcou 38 gols em apenas 18 jogos este ano pelo time Sub-17. O jogador, que entrou na vaga de Cueva aos 30 minutos da segunda etapa, é atleta do São Paulo desde os 11 anos - chegou em 2011. “O Denilson estreou hoje, o Brenner jogou 17 minutos e é uma aposta. Vi talento nele. Gosto muito de trabalhar com jovens da base”, avaliou o técnico Rogério Ceni, que completou.

“É um jovem de 17 anos e que se destacou na base com 28 gols em 11 jogos. Treinou conosco, gosto de promover esse intercâmbio. Léo Natel veio assim, Caíque também. É um intercâmbio bacana para um garoto de Cotia vislumbrar a possibilidade de jogar no São Paulo. O Brenner apesar de jovem teve a chance. Ontem no treino fez dois gols, foi bem. Ele é um 9 que se movimenta e sai da área. Joga de falso 10. Não tenho receio de trabalhar com jovens. Só quero que tenham o mesmo desejo que tenho: ter o sonho de jogar e vencer com o São Paulo”, finalizou.