São Paulo F.C



Jucilei veste a camisa e revela aprendizado no retorno ao Brasil

Mais experiente, meio-campista foi apresentado nesta terça-feira (14) no CT da Barra Funda

Após apresentar o atacante Lucas Pratto na última segunda-feira (13), o Tricolor promoveu nesta terça (14) a coletiva de imprensa do meio-campista Jucilei. O jogador, que vem por empréstimo do Shandong Luneng-CHI com contrato válido até o final do ano, recebeu as boas-vindas do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e vestiu a camisa 25.

“Apresentamos agora o simpático Jucilei. Veio para o São Paulo porque esperamos que reproduza, aqui, ainda mais depois do amadurecimento que teve fora do país. Que ele tenha a alegria que estamos tendo agora de tê-lo aqui. Apresentamos ontem o Lucas Pratto. E, hoje, Jucilei. Para nós, o motivo de alegria”, afirmou o dirigente são-paulino.

Após vestir a camisa, o jogador não escondeu a sua alegria com a oportunidade de defender o Tricolor. “O São Paulo é um clube muito grande. Planejo fazer um bom ano, uma boa temporada e ganhar títulos com o São Paulo. Passei pelo Corinthians, quando era mais novo, agora estou muito mais experiente e com vontade imensa de jogar e mostrar. Mostrar para torcida que às vezes fica desconfiada. "Ah, ficou um período muito longe do Brasil". Vem aquela desconfiança, mas estou pronto para ajudar o São Paulo”, afirmou.

Aos 28 anos, Jucilei obteve destaque no cenário nacional atuando pelo Corinthians, quando foi eleito o melhor volante do Campeonato Brasileiro de 2010 e acabou convocado para defender a Seleção Brasileira, então comandada pelo técnico Mano Menezes. As boas atuações do jogador despertaram o interesse do Anzhi, da Rússia, que acertou a sua contratação em 2011. O atleta atuou no futebol russo durante duas temporadas e depois foi negociado com o Al-Jazira, dos Emirados Árabes.

Em 2015, após um pedido do técnico Cuca, o Shandong Luneng anunciou a chegada de Jucilei, que jogou no futebol chinês nas últimas duas temporadas. “O São Paulo sempre teve interesse em mim, desde 2014. Mas, na época, tive proposta melhor do Al-Jazira e fui. Agora, resolvi vir para o São Paulo pelo respeito de acreditar no meu trabalho, por estar perto de casa e da minha família”, avaliou o reforço, que emendou.

“Vejo que o São Paulo pode me colocar na Seleção de novo. Passei na Rússia, um ano e meio nos Emirados, um ano e meio na China. Antes, eu era mais tímido, agora estou mais solto. Pega experiência com o tempo. Sou um cara muito mais experiente do que na época de Corinthians. Agora tenho que honrar a camisa do São Paulo, que é linda”, acrescentou o meio-campista, que revelou também um aprendizado profissional fora do país.

“Aprendi mais obediência tática. Trabalhar com treinadores europeus, ajuda muito. Aprendi obediência tática e a experiência, que conta muito. Vou buscar o meu espaço dentro de campo, ajudando a todos. Primeiro volante tem que ter muita marcação. As pessoas costumam falar que é o pitbull do time. Tem que ajudar bastante defesa e tem que ter bom passe. Tenho essa característica de bom passe, boa pegada. Vou encaixar bem no time”, finalizou.