São Paulo F.C



Números, ambiente e reação: Dorival projeta 2018

Vice-líder do segundo turno no Brasileirão, São Paulo celebra 55,6% de aproveitamento e já olha para a próxima temporada

Sob o comando de Dorival Júnior, o Tricolor reagiu no Campeonato Brasileiro, se aproximou do meio da tabela e já tem assegurada uma vaga na Copa Sul-Americana de 2018 – na rodada final do torneio nacional, diante do Bahia, o clube ainda brigará por um lugar na Copa Libertadores. 

Vice-líder do segundo turno no Brasileirão, com 55,6% de aproveitamento – 30 pontos em 18 jogos -, o time evoluiu com o trabalho de Dorival e o apoio incondicional da torcida. Em 25 partidas pelo São Paulo, o treinador obteve dez vitórias, oito empates e sete derrotas - aproveitamento de 50,6%, o que daria ao time a quinta posição na tabela e uma vaga na Libertadores. 

O treinador faz questão de ressaltar o trabalho desenvolvido por todas as áreas que englobam o futebol tricolor. “Foi um trabalho coletivo, não apenas do Dorival. Temos uma equipe que deu um suporte muito grande e abraçou a ideia que todos tinham para melhorar as condições que o São Paulo apresentava. Foi interessante ver um grupo de trabalho tão comprometido. E, naturalmente, sem as participações de jogadores e diretoria não alcançaríamos tudo isso”, afirmou.

O Presidente Carlos Augusto de Barros e Silva exalta a evolução da equipe sob o comando do treinador. “O trabalho realizado pelo Dorival e por sua comissão técnica no São Paulo é digno de elogios, não só pela campanha no segundo turno do Brasileirão até aqui, como também por ter obtido uma regularidade de desempenho no qual se enxerga evolução, pelo bom ambiente que vemos no CT da Barra Funda e acima de tudo por ter mostrado capacidade de reação. O segundo semestre deste ano nos traz referências positivas para 2018, ano que já está sendo planejado com otimismo com a comissão técnica”, avaliou. 

O bom ambiente no dia a dia do CT da Barra Funda também foi ressaltado por Dorival. “Os atletas entenderam que era preciso trilhar um novo caminho, um novo campo e uma melhora no alcance da performance. Com tudo isso alinhado, começamos a colocar na cabeça dos jogadores que deveríamos ter uma integração maior. Foi um passo importante para consolidar a reação. O comprometimento com o clube foi fundamental para que pudéssemos melhorar todas as condições possíveis, e muitos pontos e aspectos. Os jogadores se doaram mais e tiveram uma mudança comportamental. A partir daí, os resultados começaram a aparecer”, explicou. 

A certeza de que a equipe encontrou um rumo nesta reta final de temporada permite ao treinador projetar 2018. “A intensificação deste trabalho é fundamental. Agora, temos o entendimento do que o clube pode realizar em termos de investimento para a próxima temporada, mas acima de tudo valorizar a alma da equipe e o trabalho da base, porque isso traz um ganho muito grande para um clube como o São Paulo. Queremos aproximar ainda mais a base do elenco principal para conhecer melhor os atletas”, finalizou.