São Paulo F.C



"É o momento da virada, de decolar"

Alan Kardec recupera a confiança e projeta segundo semestre melhor para fortalecer o Tricolor

a_PAF7263.jpg

Por Fernando Nunes / saopaulofc.net

Utilizado pelo técnico Edgardo Bauza nos últimos três jogos, o atacante Alan Kardec cresceu de produção e recuperou a confiança para melhorar na temporada e fortalecer o Tricolor. O camisa 14, que marcou um dos gols na vitória sobre o Fluminense por 2 a 1 no dia 29 de junho, teve boas atuações neste período e mostrou que está preparado para dar conta do recado no segundo semestre e balançar as redes adversárias.

“Quando se fala de boa fase, incluo também o São Paulo. Em 2014, consegui ajudar bastante a equipe. Em 2015, vinha bem, marcando gols quando sofri a lesão grave no joelho. Quando voltei, pude jogar e marcar gols importantes. Agora em 2016, tive um semestre que faltou regularidade. Não foi o que eu esperava. Mas tenho de continuar trabalhando. É o momento da virada, de decolar, sei que serei cobrado por isso”, afirmou o centroavante, que completou.

“Vou dar a minha vida para ajudar o São Paulo. Os números não são os melhores, não são o que esperava. A diretoria tem confiança em mim, tanto que nunca abriram mão do meu futebol, mesmo com o interesse de outras equipes no meu futebol. Todos querem o trabalho reflita no gramado. Hoje consigo colocar uma vontade a mais. Quero coisas boas para mim e para o São Paulo”, avaliou.

Em busca de uma vaga entre os titulares, apesar de sua versatilidade que pode render algumas opções ao treinador, Kardec tem a concorrência de Calleri e Ytalo. Sempre com muito profissionalismo, o atacante sabe que poderá receber mais oportunidades com Patón caso o vínculo de Calleri – que termina no final do mês – não seja prolongado. “Serei o responsável pelos gols, sou muito cobrado por isso e me cobro bastante. Estou com a cabeça tranquila. Tenho de pensar jogo a jogo. Muitos dizem que ele vai sair. Eu tenho de pensar no meu trabalho, estou buscando alternativas, trabalhando a parte mental para fazer o meu melhor”, disse o atleta, que completou.

"Nos últimos dois ou três jogos, tive um comportamento melhor. Espero que seja daí para a melhor. Sei do que sou capaz. Vou continuar me dedicando todos os dias. Na verdade, não existe egoísmo e sim respeito. Todo mundo pode me acompanhar e sabe que eu posso exercer outras funções. Em primeiro lugar, sempre vem o interesse da equipe, procuro sempre fazer o meu melhor. Se ele preferir o Ytalo, vou encarar com naturalidade. Penso no meu lado, tenho de trabalhar para fazer a diferença na equipe”, finalizou.