São Paulo F.C



Radicado no Sul, Bruno festeja primeira partida pelo Tricolor no estado

Lateral-direito cresceu no Rio Grande do Sul, palco do duelo com o Internacional, e guarda boas recordações

4782.jpg

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

Natural de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, o lateral-direito Bruno passou a infância no Rio Grande do Sul e cresceu no estado que receberá o confronto do Tricolor no próximo domingo (31), no Beira Rio, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro de 2015. Novamente firme na posição e mais confiante com as boas exibições nos últimos jogos, o ala festeja a oportunidade de poder atuar pela primeira vez 'em casa' pelo São Paulo.

"Muito legal poder viajar para lá pela primeira vez com o São Paulo, porque a minha família inteira estará no estádio para torcer por nós. Meus pais, irmãos e amigos já estão confirmados no jogo (risos). Fico muito feliz com esta oportunidade, porque terei motivação extra para ajudar os meus companheiros em busca de um resultado positivo. Tenho certeza de que será especial", afirmou o jogador, que iniciou a carreira no Caxias.

"Cresci no Rio Grande do Sul. Nasci em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, mas a minha infância toda foi no Sul. Até hoje meus familiares moram lá: meus pais em Torres, um município no litoral, e meus irmãos em Caxias, região serrana, onde comecei no futebol. Então, fico muito feliz de poder jogar lá, e espero fazer uma grande partida para celebrar esta oportunidade", acrescentou.

Revelado no futebol gaúcho, Bruno seguiu os passos do pai para iniciar a carreira. Filho de Arizinho, ex-ponta-esquerda do Santos e do Paraná Clube, o lateral-direito sempre foi incentivado pelos familiares para correr atrás de seus sonhos. Assim, saiu de casa cedo para atuar nas categorias de base do clube gaúcho. A identidade da família com o estado fez com que o pai do atleta criasse uma escolinha de futebol na região: a Escolinha do Arizinho.

"Quando eu ainda era criança, meu pai criou o projeto, em Torres. E a escolinha está firme até hoje. Crianças de 5 a 12 anos de idade podem treinar na escolinha, que é motivo de orgulho da nossa família. Sempre que posso vou lá fazer uma visita, porque consigo relembrar bons momentos do passado e rever os amigos", finalizou o ala são-paulino.