São Paulo F.C



Gringo agrada Muricy: "Gostei demais dele"

Apesar da derrota tricolor, Centurión foi o destaque do clássico neste domingo (8), pelo Estadual

5047.jpg

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

Assim como a torcida tricolor, que cantou o nome de Centurión e aplaudiu a atuação do argentino, o técnico Muricy Ramalho também gostou do que viu na tarde deste domingo (8), no Morumbi, no clássico contra o Corinthians (1 x 0). Apesar da derrota, o camisa 20 infernizou a defesa adversária e deu cara nova ao lado esquerdo do campo. Com drible e velocidade, o meia-atacante foi o grande destaque tricolor.

"O Centurión foi uma boa surpresa. Agradou muito. Consertou o nosso lado esquerdo. Tem o drible e a profundidade. Ele chamou atenção no primeiro jogo, contra o Bragantino. Nos dois últimos jogos (goleada sobre o Audax e empate com o Rio Claro) foi muito mal", avaliou o comandante durante a coletiva de imprensa, que completou.

"Se fosse por essas partidas e pelo treino, ele não iria atuar. Mas foi bom para ele jogar no Morumbi e ver como é um clássico. Ele é muito calado. É difícil tirar algo dele. Temos de ter calma, mas ele foi muito bem", afirmou o treinador são-paulino, que gostou do que viu. Com Ganso centralizado e Michel Bastos aberto pela direita, Centurión foi o responsável pelas jogadas no lado esquerdo do campo.

Uma das exigências de Muricy para a disputa da temporada 2015, sentindo que o time precisava de um homem rápido pelas beiradas, o argentino foi uma das contratações pontuais do clube. Neste final de semana, logo em seu primeiro clássico brasileiro, o jogador deixou boa impressão e mostrou que poderá ajudar a equipe na Copa Bridgestone Libertadores da América - está liberado para atuar após cumprir dois jogos de suspensão pela CONMEBOL.

De acordo com o técnico, que não pôde contar com o atacante Alexandre Pato por questões contratuais, o retorno do camisa 11 na próxima quinta-feira (12) - para o duelo contra o São Bento, novamente no Morumbi - não significa que Centurión deixará o time titular.

"Ele não disputa com o Pato. Ele é jogador de lado, que prepara a bola para os outros. Chamei ele outro dia com o campinho e perguntei onde ele queria jogar. O Michel joga em qualquer uma. E ele apontou o lado esquerdo. Gostei demais dele ali", finalizou.