São Paulo F.C



Elenco nota 10!

Muricy elogia comprometimento dos jogadores, que ganharam a confiança do treinador até no carnaval

1201.jpg

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

Harmonia: 10. Evolução: 10. Estas são as notas do elenco são-paulino, que definitivamente ganhou a confiança do técnico Muricy Ramalho e foi liberado das concentrações neste início de temporada 2015. A iniciativa, que ganhou força em alguns jogos de 2014, reforça ainda mais o comprometimento dos atletas com o Tricolor.

"Tem de ver o grupo que você tem. Quando cheguei (em 2013), era difícil falar isso, era um grupo indisciplinado. O grupo do ano passado dá todas as respostas de disciplina. Não tem uma reclamação. Tudo eles cumprem bem. Eles me deram essa confiança. É terrível ficar aí, em um quarto preso. Não é necessário, vimos na Copa os times na praia", afirmou o comandante, que completou.

"Mas eles sabem que se fizerem coisa errada, vão pagar pelo erro. Esse grupo não precisa concentrar, porque são jogadores de bom caráter e responsáveis. É o grupo que vai fazendo isso. Eles chegam no horário, jogam bem... Não muda nada a concentração", explicou o treinador durante a coletiva de imprensa desta sexta-feira (13), no Centro de Treinamento da Barra Funda.

Nem mesmo o carnaval, que começa neste final de semana, fez Muricy duvidar do comprometimento de seus atletas. Ao término das atividades desta sexta, os jogadores foram liberados para ficarem com seus familiares. Assim, somente na manhã deste sábado (14) o elenco irá se reapresentar antes de seguir viagem para Bragança Paulista, onde o Tricolor medirá forças contra o Bragantino às 18h30 (de Brasília).

"Para o futebol não existe carnaval. Eles sabem disso, têm de se cuidar. Fica fácil, eu prendo eles dois, três dias aqui, mas não existe. Eles têm obrigação de se comportar. Se não fizer, vão ter problema, isso é combinado. Eles têm de ser profissionais. Ninguém é maluco de prender jogador, mas tem de se alimentar, dormir bem, é obrigação do cara. O cara tem de ser discreto", completou o técnico, que não vai para a 'avenida'.

"Já gostei mais, hoje é tudo igual, só muda a fantasia. Muito barulho (risos). Os caras têm de parar com isso de o técnico ser babá de jogador. Tenho meus filhos em casa. Eles têm de ser responsáveis pelo físico deles, eles são pagos para isso. Estou cortando a concentração porque é muito chato. Eles têm liberdade, mas sabem que se saírem disso vão ter problemas", finalizou.