São Paulo F.C



"Saio feliz por ter jogado no clube que eu amo"

Coletiva emocionante, no CT da Barra Funda, marcou a despedida do terceiro maior artilheiro do Tricolor

Em mais uma demonstração de amor ao clube, assim como ocorreu na heroica vitória sobre o Figueirense (3 x 2) e durante toda a sua passagem pelo São Paulo, o atacante Luis Fabiano proporcionou mais um capítulo emocionante na história do Tricolor. Na manhã desta sexta-feira (4), no Centro de Treinamento da Barra Funda, uma coletiva de imprensa repleta de surpresas e recordações marcou a sua despedida da equipe são-paulina - o contrato do camisa 9 termina no final da temporada.

O Presidente do São Paulo Futebol Clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, abriu a 'cerimônia' e não escondeu a sua emoção ao falar sobre o Fabuloso. "Eu me emociono. Se há um momento que me emociona, é este. Meu vínculo com ele, pessoal, é muito intenso. Quando vejo funcionários do São Paulo chorando... eu estou profundamente emocionado. Estou diante de alguém que honrou nossa camisa, mas a vida é assim, ela tem momentos. Você esteve conosco todo esse tempo, saiu, voltou. Mas é certo que o São Paulo nunca nos deixará. E ouso afirmar que não sou mais são-paulino do que ele", afirmou o dirigente.

Terceiro maior artilheiro na história do clube, com 212 gols em 352 jogos, o camisa 9 ganhou um livro de fotos de sua passagem pelo Tricolor, além de uma miniatura do estádio do Morumbi e um quadro em sua homenagem, desenvolvido pelo renomado designer gráfico Glauco Diogenes. Na sequência, um vídeo com funcionários do clube, seus familiares, ex-companheiros, como Kaká, Lucas, Reinaldo, França e Daniel Alves, prestou outra homenagem ao jogador.

"Quanta emoção. Quero agradecer a todo mundo, todos foram importantes nas minhas passagens. Conquistei muitos amigos aqui. Com certeza, vai ser difícil me desligar deste clube nestes primeiros meses de uma nova jornada. Vocês estarão no meu coração. O futebol passa, os números marcam, mas o que fica são os verdadeiros amigos. A gente vai se ver em breve, espero não me desligar deste clube", afirmou o centroavante, que completou.

"Gostaria de ter conquistado algumas coisas, mas não me arrependo de nada. Saio de cabeça erguida. Sempre vesti a camisa de forma honesta e leal. Às vezes as coisas não saem da forma como a gente espera e quer. O amor que tenho por esse time é verdadeiro. Saio feliz por ter jogado no time que eu amo. Não tem coisa mais especial do que ver o Morumbi lotado, num dia normal, sem jogo, só para ver a minha apresentação. Foi inédito, transmitido ao vivo. Foi um marco na minha carreira. Tem muito que eu poderia falar, mas o que houve de diferente foi isso", disse.

No período em que defendeu o Tricolor, o Fabuloso se tornou o segundo maior goleador do Morumbi, superado apenas por Serginho Chulapa. Em 171 jogos, sendo 163 como titular, o camisa 9 balançou as redes 125 vezes e esteve presente em 109 vitórias, 30 empates e 32 derrotas. "Foi um casamento tenso, mas que no final as duas partes se amam. O que eu mudaria? Talvez um jogo específico, na Libertadores de 2004, uma coisa que fica na garganta. Mas valeu tudo o que conquistamos, os gols, as brigas. Era o meu destino, foi bom, valeu. Não tem nada que eu me arrependa", avaliou.

Por fim, o atacante falou sobre a sua relação com a torcida, que em todos os jogos no Morumbi, antes de a bola rolar, gritou o nome do goleador. "Representei cada um na arquibancada. Tentei honrar a camisa, jogar com raça da melhor maneira. A torcida tem carinho por isso: eles se identificam muito com o Luis Fabiano. Saio com o dever cumprido. Consegui o respeito do torcedor. Estou morrendo um pouquinho. Pela história, pelo carinho, o amor que tenho nesse time. Vai ser complicado. A vida continua. Vai mudar tudo. Espero poder ter forças para seguir aonde eu for. Seguir minha carreira até o fim", finalizou.

LUISSSSSSS FABIANOOOOO, LUISSSS FABIANOOOOO, LUISSSSS FABIANOOOOO!