São Paulo F.C



'Estava fazendo o que na área, Mineiro?'

Campeões mundiais brincam com gol do camisa 7, que não tinha características ofensivas, mas surpreendeu a zaga do Liverpool-ING

FINAL4.JPG

Por Arquivo Histórico do São Paulo FC

"Até hoje eu não sei o que o Mineiro estava fazendo na área (risos). Mas felizmente ele estava lá e teve tranquilidade para marcar o gol". A frase do atacante Aloísio, dono da assistência que rendeu o heroico gol do Tricolor contra o Liverpool-ING (1 x 0) na decisão do Mundial de Clubes, em 2005, mostra que até o elenco são-paulino ficou surpreso com a chegada letal do volante na grande área dos ingleses, que não esperavam a infiltração do camisa 7 nas costas da defesa.

O ex-meio-campista, que não tinha o hábito de balançar as redes adversárias, surpreendeu o sistema defensivo do time europeu após lindo passe de Aloísio e, com categoria, tocou na saída do goleiro Reina, que nada pôde fazer para impedir o tento são-paulino. Festa da torcida tricolor, que compareceu em grande número ao Estádio Internacional de Yokohama, e festejou o tricampeonato conquistado. "Isso está marcado na minha vida e nunca vai mudar", afirmou Mineiro.

No período em que esteve no São Paulo, o jogador marcou apenas 14 gols em 126 partidas. No entanto, mesmo que a pontaria não tenha sido o seu ponto forte atuando pelo clube, o tento do Mundial, seu futebol, fôlego e vigor já bastariam para enquadrá-lo entre os melhores de todos os tempos. Exímio marcador, do gênero incansável, ainda arriscava avanços ao ataque e chutes de longas distâncias para tentar surpreender os rivais.

"Ainda bem que ele surpreendeu todo mundo, né? Ele soube aproveitar o espaço e passou despercebido pelos zagueiros para ficar cara a cara com o goleiro (risos). O Mineiro sempre contou com o respeito de todo o grupo e merecia marcar um gol tão importante. Foi marcante, e felizmente hoje podemos comemorar esta grande conquista do São Paulo", disse o centroavante Amoroso.

Sempre bem-humorado, o atacante Aloísio costuma brincar com a jogada do gol. "Eu gosto de dizer que dei o passe à la Ronaldinho Gaúcho do Paraguai. E ele teve a frieza do baixinho Romário (risos). O Liverpool tinha um grande time, mas a gente soube aproveitar a chance para marcar o gol e trazer a taça para a torcida", acrescentou o camisa 14.

Vale lembrar que defendendo o Tricolor, além do Mundial de Clubes, Mineiro conquistou a Libertadores da América e o Campeonato Paulista, ambos em 2005, e o Campeonato Brasileiro de 2006. "Esse carinho que tenho pelo clube é algo até difícil de explicar. Sempre que visito o clube e revejo os amigos, acabamos relembrando o gol e contando algumas histórias. São coisas marcantes e que ficam na memória", finalizou o 'volante goleador'.

Valeu, Mineiro!