São Paulo F.C



Justa homenagem aos campeões que marcaram duas gerações...

Ídolos que entraram para a história do clube nas conquistas dos mundiais de 92, 93 e 05 não esconderam a emoção com a grande festa no Morumbi

PAF_0005.JPG

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

"Foi fantástico. Estou completamente realizado pela oportunidade de ter feito parte da grande festa e receber esta homenagem". A frase do atacante Amoroso, campeão mundial pelo Tricolor em 2005, resume o sentimento dos grandes ídolos que fizeram parte do Jogo dos Sonhos na última sexta-feira (11), no Morumbi, e foram homenageados pelo clube durante a festa que celebrou os 25 anos de carreira do capitão Rogério Ceni.

Em noite que certamente ficará marcada na memória de cada um dos campeões mundiais de 1992, 1993 e 2005, os ex-jogadores tiveram a oportunidade de reencontrar os ex-companheiros, atuar novamente no Cícero Pompeu de Toledo e rever a torcida são-paulina, que fez uma linda festa do começo ao fim do evento e emocionou os ídolos. O meio-campista Mineiro, autor do gol que rendeu o tricampeonato mundial diante do Liverpool-ING, valorizou a iniciativa do São Paulo.

"Foi gratificante fazer parte disso. É algo que não foi planejado e que nunca imaginei que pudesse acontecer. Vou guardar este evento na memória para sempre, a grande festa que pudemos dividir com o Rogério foi marcante. Foi uma honra fazer parte disso, e ressaltou ainda mais a grandeza do clube. Não me considero um herói sozinho. Valorizo todos que participaram direta e indiretamente da conquista de 2005. Todos os atletas que estavam ali, as pessoas envolvidas na nossa estrutura, todos são heróis. Alguns aparecem mais com gols, mas do meu ponto de vista, todos foram heróis. Foi um grande prazer e um grande privilégio fazer parte disso", afirmou o ex-camisa 7, que teve a opinião compartilhada pelo comandante Paulo Autuori.

"Ver o reconhecimento da torcida vale mais do que qualquer título, porque o mais importante para mim são aqueles que convivem no dia a dia. Eu desejo o melhor a esse clube, que está no meu coração. A festa foi muito bonita, sem dúvida emocionou todos os presentes e marcou mais um capítulo histórico no clube", avaliou o treinador da conquista de 2005. Assim como volante e técnico, o zagueiro Fabão também enaltece o evento. "Foi uma festa maravilhosa, como o Rogério merece. Fiquei emocionado com a torcida, porque desde a chegada do ônibus a festa foi linda. Lembrei da final da Libertadores de 2005, porque o clima era exatamente este. E relembrar isso não tem preço", revelou o defensor.

Com show das bandas República e Ira! - com participação do M1TO -, e momentos inesquecíveis durante a partida, os campeões mundiais também tiveram a oportunidade de reerguer as taças que são os maiores orgulhos do Tricolor. "Foi uma emoção muito grande estar na despedida do Mito, porque é o melhor goleiro do mundo. Além disso, agradeço a Deus por me proporcionar momentos especiais no Morumbi", disse o atacante Aloísio. "Fiquei contente com o Morumbi lotado gritando meu nome, ser ovacionado. Não há dinheiro que pague", acrescentou o versátil Richarlyson.

Além dos shows e da memorável festa dos torcedores nas arquibancadas, com bandeirões e faixas de amor ao São Paulo, um verdadeiro show de pirotecnia enfeitou a festa. "Foi uma experiência incrível, e poder compartilhar este momento com os parceiros de tantas batalhas foi marcante. Fiquei muito tempo sem vê-los, então reencontrá-los com aquela festa incrível da torcida me emocionou bastante. O clube e os jogadores mereciam esta festa, e sou grato ao Rogério por conseguir reunir tantos campeões", disse o uruguaio Lugano. E assim como a geração de 2005, os campeões de 1992 e 1993 também ficaram emocionados.

"Escutar o meu nome daquela forma, ao entrar em campo, me deixou arrepiado. Foi uma emoção muito grande. Marcamos épocas juntos, então foi gostoso ser homenageado. Fiquei até apreensivo e com aquela adrenalina antes de o jogo começar (risos)", mas foi prazeroso fazer parte disso. Reunir os maiores jogadores que passaram pelo clube foi espetacular", afirmou o goleiro Zetti.

"Os resultados e os títulos mostraram que o São Paulo é um clube de chegada. E tive a felicidade de fazer parte deste período vitorioso do clube. Ver o Telê Santana ser homenageado foi marcante. Acredito que, agora, podemos colher os frutos daquela geração vitoriosa, que sempre lutou para defender as cores do clube", finalizou Toninho Cerezo.