São Paulo F.C



Em alta, Denilson brinca: "Está leve carregar o piano"

Após reconquistar o seu espaço na equipe, volante dividiu os méritos com os seus companheiros

DSC_0272.JPG

Por Site Oficial / saopaulofc.net

Com Paulo Henrique Ganso, Kaká, Alexandre Pato e Luis Fabiano, o ponto forte da equipe são-paulina no Campeonato Brasileiro de 2014 tem sido o sistema ofensivo. O quarteto, em grande fase, deu força ao Tricolor e fez com que o clube retornasse ao G-4. Mas, para que os jogadores de frente tivessem liberdade para atacar e criar as jogadas, o técnico Muricy Ramalho apostou na dupla de volantes formada por Souza e Denilson, que deram segurança ao setor.

E de acordo com o camisa 15, que também tem se destacado nos últimos jogos, 'carregar o piano' no meio de campo tem sido tarefa simples, já que todos estão comprometidos e ajudando na marcação. "O quadrado é maravilhoso, mas temos que olhar um pouco para os guerreiros que vêm atrás. O Paulo Miranda, o Rafael Toloi e o Edson Silva também merecem ser vistos com carinho. O piano está leve de carregar (risos)", brincou.

Ainda durante a coletiva de imprensa desta segunda-feira (25), no Centro de Treinamento da Barra Funda após a vitória sobre o Santos (2 x 1), o marcador elogiou os companheiros e comemorou a sua volta por cima.  "O quarteto é ótimo também. Eles nos ajudam na marcação. Isso faz com que o time se encaixe e consiga resultados positivos", acrescentou Denilson, que completou.

"No primeiro semestre eu sofri bastante. Ficar sem jogar é muito ruim. Você saber que não está ali é triste. Mas agora a situação é outra. Dei a volta por cima, reconquistei meu espaço. A cada dia vou provar isso. A verdade é que estou muito bem aqui. Passado é passado. Quero pensar daqui para frente", revelou.

Novamente titular do time são-paulino, que conta com grandes jogadores para o setor, o meio-campista enalteceu a disputa sadia por um lugar entre os titulares, o que tem elevado o nível dos treinamentos e rendido mais opções ao treinador.

"Aqui existe uma disputa sadia. Nesse tempo parado, eu não fiquei murmurando pelos cantos nem falando mal de ninguém. Eu me culpei e coloquei na cabeça que precisava trabalhar mais que os outros. Hoje, graças a Deus, estou de volta. Pretendo continuar trabalhando para ajudar o time, mas sempre respeitando os colegas", afirmou, que avaliou a campanha do clube no Brasileirão

"A gente está no caminho certo. Temos que pensar a cada jogo. Vamos procurar manter essa sequência de vitórias. O Cruzeiro é o único time regular no Brasileiro, mas vamos tentar buscar alcançar e ultrapassar. Nossa lição foi contra o Bragantino, quando achamos que ia ser fácil e eles nos engoliram. Tivemos uma conversa depois disso e acertamos. Isso não vai mais acontecer", finalizou.