São Paulo F.C



"Foram seis meses de grandes emoções"

Mais do que qualquer número ou estatística, a segunda passagem de Kaká pelo Tricolor foi marcada pelo seu espírito vencedor

3670.jpg

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

Foram 24 jogos, três gols e três assistências. No entanto, mais do que qualquer número ou estatística, a segunda passagem de Kaká pelo Tricolor foi marcada pelo seu espírito vencedor e, acima de tudo, pela forma como o camisa 8 conseguiu unir ainda mais o elenco são-paulino e transformar a sua garra em exemplo para os companheiros. Assim, a temporada 2014 foi um marco na carreira do atleta e dos comandados do técnico Muricy Ramalho.

Sempre muito profissional e sem medir esforços no dia a dia do Centro de Treinamento da Barra Funda, o camisa 8 serviu de exemplo para todos os atletas do elenco inclusive os mais experientes, e comandou a briga da equipe pelo G-4 do Campeonato Brasileiro.

"Foram seis meses de grandes emoções e jamais vou esquecer a forma como a torcida me recebeu de volta. Guardarei com saudades a minha apresentação no Morumbi cheio de torcedores e de cada partida e treino que fiz com essa camisa, que eu jamais vou deixar de vestir", afirmou o craque.

Após deixar o Tricolor em 2003, o armador triunfou na Europa e escreveu o seu nome no futebol mundial. Em 2007, foi eleito melhor jogador do mundo pela FIFA, e ao longo dos anos acumulou diversas convocações para a Seleção Brasileira. Com o currículo carregado de conquistas, o meia-atacante se firmou na equipe são-paulina e deu novo ânimo ao time na briga por títulos na temporada.

Ao voltar ao São Paulo, Kaká também retornou à Seleção Brasileira. Em outubro deste ano, após um ano e meio, o jogador foi convocado para defender o Brasil nos amistosos diante da Argentina e Japão. Antes disso, seus últimos jogos pela Seleção haviam sido contra Itália e Rússia, em março de 2013.

No duelo contra o Figueirense (1 x 1), no dia 30 de novembro, no Morumbi, o craque se despediu da torcida são-paulina. Ovacionado pelos torcedores durante todo o jogo, o armador deixou o estádio emocionado. Desde a chegada da delegação ao estádio, a demonstração de carinho da torcida mereceu destaque. Antes de a bola rolar, quando o camisa 8 pisou no gramado, o grito das arquibancadas foi um só: "Olêêê, olêêê, olêêê, olááááá, Kaká, Kaká".

E quando a bola parou de rolar na capital paulista, a festa tomou conta do Morumbi. Com direito a queima de fogos após o apito final, o craque teve todo o seu esforço reconhecido no clube."Despedidas fazem parte da carreira de qualquer profissional e no futebol não é diferente, mas nesse caso nunca será uma despedida", avaliou o jogador, que completou.

"Sair do São Paulo não é uma opção para mim, eu sempre serei parte e principalmente terei dentro de mim um pedaço deste time: o coração. Parto agora para um grande desafio da minha carreira no Orlando City-EUA. Deixo um enorme agradecimento a cada funcionário do clube, aos dirigentes, ao Muricy e aos meus companheiros. Todos me mostraram mais uma vez que cada torcedor tricolor deve ter um imenso orgulho de vestir essa camisa", finalizou.