São Paulo F.C



São-paulino Kaká é eleito melhor do mundo

Revelado no clube, jogador do Milan recebeu o prêmio em Zurique, na FIFA

O São Paulo Futebol Clube está em festa. Hoje, dia 17 de dezembro de 2007, Ricardo Izecson dos Santos Leite ou simplesmente Kaká, foi eleito o melhor jogador de futebol do mundo no ano de 2007.

Revelado nas categorias de base do clube, o jogador de 25 anos levou o prêmio em cerimônia realizada em Zurique, na Suíça, onde fica a sede da FIFA.

 

A briga pelo título de melhor do mundo não foi nada fácil. Kaká concorreu com dois grandes rivais: os atacantes Lionel Messi, argentino que defende o Barcelona, e Cristiano Ronaldo, português que atua no Manchester United.

 

Com a conquista do prêmio da FIFA, o jogador encerra um ano praticamente perfeito: sagrou-se campeão da Supercopa da Europa, da Liga dos Campeões da Europa e do Campeonato Mundial de Clubes.

 

Além disso, individualmente foram muitas outras conquistas. Foi eleito melhor jogador, melhor atacante e ficou com o posto de artilheiro da Liga dos Campeões da Europa. Foi eleito ainda o melhor jogador da final e do Campeonato Mundial de Clubes. Sem falar na grande conquista da Bola de Ouro, oferecida pela conceituada revista francesa France Football.

 

Kaká - São Paulo Futebol Clube

 

Levado por seus pais, Bosco e Simone, Kaká freqüentou desde pequeno a sede social do São Paulo Futebol Clube.

 

Desde seus oito anos de idade, quando ainda tinha o apelido com C e não com K, o jovem talento passava boa parte de seu tempo na área social do clube, situada no bairro do Morumbi.

 

Desfrutava das piscinas, das quadras, do complexo de lazer e principalmente, do campo de futebol.  

 

Desfilava sua técnica nos campos do clube e sua qualidade era cada vez mais reconhecida fora deles também.

 

Quando seu talento já não cabia mais nos campos da sede social, Kaká deu inicio a uma nova trajetória em sua vida, migrando para as categorias de base do clube, mais precisamente no dente de leite.

 

Sua ascensão foi uma questão de tempo. Dente de leite, infantil, juvenil e júnior, até chegar ao profissional.

 

De menino magrinho e franzino passou a jogador alto e forte, graças ao trabalho multidisciplinar feito no clube.

 

Superou um difícil acidente em 2000, quando numa visita aos avós paternos, em Caldas Novas, desceu num escorregador de piscina e quando caiu na água, bateu a cabeça no fundo da piscina, fraturando uma vértebra.

 

Na ocasião, os médicos diziam que o atleta tinha muita sorte por ainda poder andar normalmente. Mas para Kaká e toda sua religiosidade, aquilo era fruto de proteção divina.

 

E assim, sempre com muita competência, qualidade e fé, Kaká chegou aos profissionais. Sua estréia foi no Morumbi, pelo Torneio Rio-SP, num empate por 1 a 1 com o Botafogo, no dia 1º de fevereiro de 2001.

 

Seu primeiro momento como uma verdadeira estrela, porém, foi pouco mais de dois meses depois, contra o mesmo Botafogo, no mesmo palco.

 

No dia 7 de março, Kaká entrou em campo na decisão do Rio-SP e viu pela primeira vez o Morumbi se render ao seu talento.

 

Colocado por Osvaldo Alvarez, o Vadão (hoje técnico do Vitória), o jogador entrou na segunda etapa e fez os dois gols do São Paulo na vitória por 2 a 1 sobre o clube carioca, dando o inédito título ao Tricolor Paulista.

 

Quis o destino que após 131 jogos e 48 gols, Kaká deixasse a sua casa, o São Paulo, e migrasse para o poderoso Milan, clube que defende desde 2003.

 

A transferência para o clube italiano, porém, não afastou o jogador do clube, que mantém vínculos com seu clube de coração.

 

"Sempre que posso vejo os jogos na TV ou acompanho pela internet. Quando não dá para fazer nem uma coisa, nem outra, fico pedindo para os amigos me mandarem o máximo de notícias possível. Tenho vários amigos no São Paulo. São funcionários, jogadores, comissão técnica, assessoria de imprensa e até diretoria. Tenho contato com essas pessoas sempre, e elas vivem me mandando notícias do Tricolor", disse o jogador, recentemente, em entrevista a Revista Oficial do clube.

 

Lembranças do São Paulo também não faltam. Sejam elas físicas ou sentimentais.

 

"Tenho muitas coisas guardadas. Pra se ter uma idéia, a primeira camisa como profissional, que me deram no dia da minha ida para a Itália, está enquadrada na casa dos meus pais em Milão. É uma das minhas grandes recordações. Lembro do meu primeiro treino no São Paulo, meu primeiro treino como profissional, meu primeiro gol, a primeira vez que subi no gramado do Morumbi, também não dá para esquecer os clássicos e o gritos da torcidas", revelou o melhor do mundo na mesma entrevista.

 

No que depender de Kaká, a história dele com o São Paulo ainda não teve seu final. "Freqüento o clube desde os oito anos de idade e acho que isso ajudou muito na minha identificação. Nasci, cresci e sou o Kaká de hoje porque o São Paulo me deu a oportunidade", conta o jogador, que completa. "Gostaria muito, se fosse possível, de encerrar a carreira no clube", diz.

 

 

Títulos de Kaká no São Paulo Futebol Clube - 131 jogos - 48 gols

 

Categorias de base

1997     Campeão Paulista Juvenil

1997     Campeão Torneio Brasil / Japão

2000     Campeão Torneio 'Victor Benitez" - Peru

2000     Campeão Torneio da Páscoa - Alemanha

2000     Campeão Blue Star Fifa Cup - Suiça

2000     Campeão Paulista de Juniores

 

Profissional

2001     Campeão do Torneio Rio-SP

2001     Vice-campeão da Copa dos Campeões

2002     Campeão do Supercampeonato Paulista