São Paulo F.C



Doze curiosidades sobre o tricampeonato da Taça BH

Tricolor faturou o título Sub-17 ao golear o Palmeiras por 4 a 1

8K1A8790 2.JPG

Por Igor Amorim/saopaulofc.net

1 – 18 anos longe das finais!

Essa edição foi a primeira em 18 anos que teve o Tricolor nas semifinais – e consequente final. A última vez que o time chegou às últimas rodadas tinha sido em 1998, quando foi vice-campeão, perdendo o título para o Palmeiras. O último título foi em 1997 (o da foto abaixo). De lá pra cá, o máximo alcançado pelos são-paulinos foi as quartas de final em 2007 e 2009 - o clube não disputou a competição em 2005, 2008, 2013 e 2014.

Título 97


2 - Segundo título do ano

O título da BH foi o 39º conquistado pela base Tricolor na era Cotia (desde que o CFA foi inaugurado, em 2005). Foi também o segundo do Sub-17 na temporada: a equipe venceu a Copa Ouro de forma invicta: seis vitórias e um empate. Lembrando que a base são-paulina também venceu, com o time Sub-20, a Copa Ouro e a inédita Libertadores da América da categoria, no Paraguai.

8K1A8838.jpg

3 - De olho

O técnico da Seleção Brasileira Sub-17, Carlos Amadeu, esteve nos jogos do Tricolor na disputa. Ele acompanhou as partidas, conversou com o treinador Orlando Ribeiro e participou da cerimônia de premiação do título são-paulino em Belo Horizonte. Três jogadores que disputaram a Taça BH foram chamados por ele na sexta-feira para período de treinos na Granja Comary: o zagueiro Walce e os atacantes Danilo e Marquinhos.

Amadeu 

4 – Brilha, Thiago!

No Tricolor há sete anos, o goleiro Thiago foi o destaque da equipe na classificação à final. O arqueiro defendeu dois pênaltis do Flamengo e ajudou o time a garantir lugar na decisão. Curiosamente, ele também havia parado um penal flamenguista na primeira fase, em cobrança no final do 1º tempo, jogo que terminou empatado em 2 a 2.

8K1A6513.JPG 

5 - Caçulinha

O volante Rodrigo Nestor foi o caçula do grupo. Com só 15 anos – ele faz 16 no dia 09 de agosto -, ele era um dos titulares do meio-campo são-paulino e marcou dois gols na competição.

8K1A7425 2.JPG 

6 – Conta com eles!

O banco são-paulino mostrou a força do grupo Sub-17. Na decisão por pênaltis contra o Flamengo, três das quatro cobranças certas foram feitas por atletas que começaram o jogo no banco de reservas: Marcos Antônio, Fabinho e Brenner. Além disso, oito dos 22 gols feitos pelo clube no torneio saíram dos pés de jogadores que viram do banco.

8K1A6573.JPG 

7 – Golaço (quase) sem querer!

Autor de um dos gols mais importantes na competição, Helio é um desses jogadores decisivos que vieram do banco. No confronto com o Paraná, o meia deixou tudo mais tranquilo para o Tricolor, que sofria pressão do rival, ao marcar um gol peculiar: ele tentou o cruzamento da esquerda, a bola saiu aberta demais, encobriu o goleiro e entrou nas redes, decretando a vitória e a vaga às semifinais.

8K1A4909.JPG 

8 - Que responsa!

Inscrito no torneio, o defensor Miguel, de 16 anos, não tinha viajado com o clube assim como outros quatro jogadores, que ficaram de sobreaviso em Cotia: Rael, William, Arthur e Iago. Ele chegou a BH somente antes do jogo contra o Flamengo, chamado para reforçar a defesa são-paulina pela lesão de Eduardo Kau. Curiosamente, ele acabou jogando apenas a final, no lugar do capitão Diego, suspenso por cartão.

8K1A7243 2.JPG 

9 - Fizeram a festa!

A final foi ainda mais especial para Weverson. A família dele viajou de Brasília até Belo Horizonte para apoiar o jogador, e fez diferença: diante dos familiares, o lateral-esquerdo marcou o primeiro gol dele no campeonato, o terceiro da disputa. E os Moreira ajudaram muito os garotos gritando o tempo todo no apoio ao Tricolor!

8K1A8892 2.JPG 

10 - Aniversariantes

Falando em festa, dois são-paulinos comemoraram aniversário durante a competição: o zagueiro e capitão Diego e o segundo goleiro Thiago Igor fizeram 17 anos. Pra lembrar a data, teve bolo na concentração são-paulina - e discurso dos dois!

Aniversário

11 - Bicampeão

E o massagista Chileno é o único bicampeão da Taça BH! O profissional, que tem muita história da base Tricolor pra contar, estava no título são-paulino em 1997 e também acompanhou o vice-campeonato de 1998.

Chileno


12 - Foi lindo de ver!

Na cerimônia de premiação, os tricolores foram recebidos pelos palmeirenses em um incrível gesto de fair play. Depois de receberem as medalhas e o troféu, os rivais se posicionaram para receber os são-paulinos e aplaudiram os campeões. Coisa linda de se ver! Parabéns, garotos do Palmeiras!