São Paulo F.C



No clima da Libertadores 2020: River Plate e argentinos

Site oficial do São Paulo inicia uma minissérie de matérias sobre os três adversários que o Tricolor enfrentará no Grupo D

amoroso.river.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Já no clima da Copa Libertadores de 2020, o site oficial do São Paulo inicia uma minissérie de matérias sobre os três adversários que o Tricolor enfrentará no Grupo D: River Plate (ARG), LDU (EQU) e Binacional (PER).

> TABELA NO GRUPO D DA LIBERTADORES 2020

Cabeça de chave e finalista nas duas últimas edições, em 2018 e 2019, o River Plate abre o conteúdo histórico e estatístico. Enfrentar equipes da Argentina, aliás, fez parte das trajetórias vitoriosas que terminaram com troféu no Morumbi, em 1992, 1993 e 2005.

Na primeira conquista, em 1992, a equipe memorável de Telê Santana enfrentou o Newell's Old Boys na grande decisão que colocou a América aos pés do Tricolor pela primeira vez. Com gol de Raí, após derrota por 1 a 0 na ida, o São Paulo venceu por 1 a 0 e levou a decisão para as penalidades máximas.

A cobrança de Gamboa, defendida por Zetti, decretou a inédita conquista e garantiu a festa à multidão de torcedores presentes ao Estádio Cícero Pompeu de Toledo e que invadiu o gramado para comemorar ao lado dos ídolos e festejar a noite inesquecível.

Na edição seguinte, em 1993, o Tricolor começou a trajetória em busca do bicampeonato justamente contra o clube de Rosário - atual campeão, o São Paulo já começou o torneio nas oitavas de final e encarou o Newell's Old Boys.

A equipe argentina, que vinha sedenta pela chance de desforra, começou bem. Motivada, venceu a primeira partida, em Rosario, por 2 a 0. Não foi o suficiente. No Morumbi, mesmo com Raí enfaixado, com o pulso quebrado, os tricolores massacraram os argentinos por 4 a 0 e avançaram para as quartas de final.

Em 2005, no Tri, o São Paulo enfrentou dois clubes da Argentina: o Quilmes (2 x 2 e 3 x 1), na fase de grupos, e o River Plate, na semifinal. As partidas contra os ‘Millonarios’, aliás, pararam a América. Com Amoroso, recém contratado, o São Paulo faturou: 2 x 0, em casa ("El Morumbi te mata"), e 3 x 2, fora. Quinta final de Libertadores na história!

A Argentina é o país que mais ‘cedeu’ adversários estrangeiros ao Tricolor na história: 95 vezes. Foram 34 vitórias do São Paulo, 25 empates e 36 triunfos dos rivais.

O River Plate é o quinto time internacional que o São Paulo mais duelou na história, atrás apenas de Boca Juniors (ARG), Atletico Nacional (COL), Olimpia (PAR) e Colo-Colo (CHL). Em 15 jogos, foram cinco vitórias são-paulinas, cinco empates e cinco triunfos dos argentinos.