São Paulo F.C



"A grande vantagem é o São Paulo recuperar sua autoestima e confiança"

Vagner Mancini destacou a leveza do time e o comprometimento dos atletas na vitória sobre o Ituano (2 x 1)

“A vantagem é pequena. A grande vantagem é o São Paulo recuperar sua autoestima e confiança”. As palavras de Vagner Mancini durante a entrevista coletiva após a vitória sobre o Ituano por 2 a 1 neste domingo (24), no Morumbi, mostram a importância do triunfo no confronto de ida das quartas de final do Campeonato Paulista.

“O resgate acaba gerando uma serie de convicções daquilo que o atleta está vendo. Hoje tínhamos uma estratégia. Os atletas entenderam isso e executaram muito bem. Todos estão de parabéns por tudo o que vi em campo, pela entrega e dedicação. E digo mais, não só dentro de campo, mas fora também. A mudança hoje é significativa”, destacou o treinador interino.

Com o resultado no confronto de ida, a equipe são-paulina ganhou o direito de atuar pelo empate na decisiva partida de volta, que será disputada na noite da próxima quarta-feira (27), às 19h15, no Estádio Novelli Júnior.

“O 2 a 0 seria uma vantagem mais confortável. Mas ao mesmo tempo eu imagino que o São Paulo entre ainda mais comprometido por conta desse gol. Eu fiz questão de dar parabéns aos atletas no vestiário, a mudança significativa está neles. Vimos um time arrumado, que estudou o Ituano no começo, mas na hora que botou intensidade no jogo foi dono da partida. O estádio jogou junto com o São Paulo na maior parte do tempo. Acho isso muito significativo”, disse Mancini, que completou.

“A certeza que tenho hoje é falar que estamos no caminho certo. Foi a estreia do São Paulo no ano em termos técnicos e táticos, mas ainda depende de mais 90 minutos em Itu para que a gente possa chegar na semifinal. Diante disso tudo que nós vimos, o que importa dizer é que a equipe tem condições de jogar dessa forma. A única coisa que fiz questão de alterar após a minha entrada foi a intensidade na vertical. Algumas peças hoje foram fundamentais para isso”, emendou o comandante, que destacou a leveza da equipe.

"Para esse momento, o São Paulo precisa de um time rápido. Quando eu assumi o time vi que tinha uma dificuldade na transição. Acho que, hoje, já estamos mais leve e mais velozes. Fomos mais intensos. Talvez não ainda os 180 minutos, até porque, para isso, precisamos de mais treinamentos. O futebol é muito limpo, ainda mais com o VAR. A partir do momento que você tem isso, tem que buscar mais o gol, que é o que eu peço ao atleta”, concluiu.