São Paulo F.C



'Estreantes' na Vila Belmiro brilham, e Tricolor bate o Santos

Cueva, Gilberto e Luiz Araújo comandaram a vitória do São Paulo, que derrubou um tabu de oito anos na Baixada Santista

De virada e com grande atuação dos estreantes na Vila Belmiro, o Tricolor venceu o Santos por 3 a 1 na noite desta quarta-feira (15) e quebrou um incômodo tabu na casa do rival. Inspirados, Cueva, Gilberto e Luiz Araújo – que ainda não tinham atuado no Estádio Urbano Caldeira - comandaram o triunfo do São Paulo, que não derrotava o adversário na Baixada Santista desde 2009 - quando venceu por 4 a 3 pelo Campeonato Brasileiro. De lá para cá, eram 11 partidas de jejum: quatro empates e sete derrotas. 

Na primeira etapa do confronto válido pela terceira rodada do Campeonato Paulista de 2017, os anfitriões abriram o placar com Copete. Ainda antes do intervalo, em cobrança de pênalti, o peruano Cueva deixou tudo igual. Então, além da atuação destacada dos jogadores, foi decisiva também a participação do técnico Rogério Ceni, que celebrou hoje 20 anos de seu primeiro gol na carreira. Após o intervalo, o treinador apostou na entrada de Luiz Araújo, que infernizou a defesa santista e balançou as redes duas vezes!

Com o resultado positivo, o São Paulo se manteve na liderança isolada do Grupo B, agora com seis pontos. No próximo final de semana, com a missão de tentar confirmar o seu bom momento neste início de temporada, o Tricolor receberá o Mirassol, no Morumbi, pela quarta rodada. O clube do interior também vive grande fase e está com 100% de aproveitamento no estadual: venceu as três partidas que disputou.

Com dores musculares, o atacante Chavez não conseguiu se recuperar a tempo e teve que ser cortado do duelo – assim como no duelo com a Ponte Preta (5 x 2) no último final de semana. Dessa forma, recuperado de cirurgias no ombro e no joelho, o jovem Lucas Fernandes foi chamado para reforçar a delegação são-paulina na Baixada Santista. Já Wesley (artroscopia no joelho direito), Wellington Nem (estiramento no adutor da coxa esquerda) e Lyanco (liberado para período de descanso após o Sul-Americano Sub-20) não estavam à disposição.

Para encarar os santistas, o técnico Rogério Ceni escalou o time com Sidão; Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Junior Tavares; João Schmidt, Thiago Mendes e Cícero; Neilton (que reencontrou o clube onde foi revelado), Gilberto e Cueva. O adversário começou a partida com Vladimir; Victor Ferraz, Yuri, Lucas Veríssimo e Zeca; Thiago Maia, Leandro Donizete, Lucas Lima e Vitor Bueno; Copete e Rodrigão.

Quando a bola rolou, os mandantes partiram para o campo de ataque e conseguiram tirar o zero do placar aos dez minutos: Vitor Bueno avançou pela ponta e cruzou para Copete, que testou para marcar o gol dos anfitriões: 1 a 0. Após largar em desvantagem, o Tricolor tratou de trocar passes para tentar encurralar o Santos e equilibrar as ações do jogo. E foi assim, com paciência para buscar as jogadas na frente, que os visitantes deixaram tudo igual antes do intervalo.

Aos 36 minutos, Zeca derrubou Gilberto quando o centroavante subia dentro da área para cabecear: pênalti! Com categoria e tranquilidade, o peruano Cueva deslocou o goleiro Vladimir e empatou o San-São: 1 a 1! Comemoração dos são-paulinos e grande fase de Gilberto, que balançou as redes quatro vezes nos últimos dois duelos – Ponte Preta (três) e Moto Club-MA (um) -, além de ter sofrido a penalidade máxima no clássico.

Na volta para a segunda etapa, Rogério mexeu na equipe e promoveu a entrada de Luiz Araújo, que herdou a vaga de Neilton. Com o camisa 31, o Tricolor ganhou mais velocidade na frente e conseguiu a virada no placar. Efetivo nos contragolpes, o São Paulo conseguiu quebrar o tabu na Vila Belmiro: aos dez minutos, Lucas Lima foi desarmado, e o time são-paulino avançou rapidamente. Gilberto lançou Araújo, que driblou Vladimir e tocou para o fundo das redes: 2 a 1!

Após sofrer a virada, o rival tentou buscar o empate e partiu para o ataque, mas parou em boa defesa de Sidão. Enquanto isso, do outro lado, o Tricolor não desperdiçava as oportunidades. Aos 27, o goleiro são-paulino lançou Araruna, que conduziu pelo meio e encontrou Cueva dentro da área. O peruano se livrou da marcação e rolou para Luiz Araújo, que bateu cruzado e marcou o terceiro dos visitantes: 3 a 1 e muita festa dos comandados de Rogério Ceni.

Daí em diante, seguro na defesa e com perigo nas respostas ofensivas, o São Paulo soube administrar o resultado e conquistou a importante vitória na Baixada Santista. O Tricolor não batia os anfitriões, no Estádio Urbano Caldeira, desde 2009 quando venceu por 4 a 3 pelo Campeonato Brasileiro. De lá para cá, eram 11 partidas de jejum: quatro empates e sete derrotas.