São Paulo F.C



Na quente Campinas, São Paulo acaba derrotado pela Ponte Preta

Nas estreias de Souza e Pabon, que deixaram boa impressão, equipe são-paulina perdeu por 2 a 1

O São Paulo batalhou contra a Ponte Preta, e o forte calor de Campinas, mas acabou derrotado por 2 a 1 na tarde deste domingo (9). A partida, válida pela sétima rodada do Campeonato Paulista de 2014, marcou as estreias do volante Souza e do atacante Pabon, que deixaram boa impressão. O colombiano foi um dos destaques da partida, ao lado de Alvaro Pereira, e passou perto de balançar as redes.

Os gols do confronto, no Estádio Moisés Lucarelli, foram marcados por Silvinho, Rogério Ceni e Alemão. Apesar do resultado negativo, o Tricolor se manteve na liderança isolada do Grupo A, com 12 pontos em sete jogos. Na próxima rodada, sábado (15), o São Paulo entrará em campo novamente em busca de mais um triunfo no Estadual. No Morumbi, o time são-paulino enfrentará a Portuguesa.

Poupando o atacante Luis Fabiano, que esteve presente nas seis partidas anteriores, o técnico Muricy Ramalho manteve o esquema tático, mas promoveu a entrada de Douglas no lugar de Luis Ricardo. Assim, o time começou a partida com Rogério Ceni; Douglas, Antonio Carlos, Rodrigo Caio e Alvaro Pereira; Wellington, Souza e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo, Ademilson e Pabon.

Apesar da temperatura elevada no interior paulista, a equipe são-paulina começou melhor e criou as melhores jogadas nos primeiros minutos. Aos 6, Douglas avançou pela direita, bateu firme e obrigou o goleiro Roberto espalmar a bola para escanteio. Na cobrança, Antonio Carlos apareceu bem na grande área e, por pouco, não abriu o placar. O xerifão também teve outra grande chance aos 11, até mais aguda, mas a bola passou por cima do gol.

Acuados, os pontepretanos não conseguiam passar do meio de campo e apenas assistiam o Tricolor atacar. Bem solto no jogo e confiante, o atacante Pabon era uma das melhores opções do time nas jogadas ofensivas. O colombiano, que constantemente saía da área para buscar a tabela, passou perto de balançar as redes. Aos 12, Alvaro Pereira cruzou, Ademilson ajeitou e Pabon bateu forte. A bola desviou em Fernando Bob e tirou tinta da trave.

No entanto, quando o São Paulo tinha o controle da partida, o calor 'entrou em ação' e começou a desgastar a equipe são-paulina. Assim, depois dos 20 minutos, os donos da casa passaram a explorar mais o campo de ataque e levar perigo ao goleiro Rogério Ceni. Os anfitriões adiantaram a marcação e obrigaram o Tricolor a ficar atrás da linha do meio de campo.

Aos poucos, os campineiros foram trocando passes e rondando a área dos visitantes. Aos 45 minutos, Silvinho dominou, girou e bateu cruzado. O chute saiu rasteiro e Rogério nada pôde fazer: 1 a 0, placar que se manteve até o intervalo no Estádio Moisés Lucarelli.

Mesmo desgastado pelo forte sol de Campinas, o São Paulo reuniu forças para começar bem a segunda etapa. Osvaldo, aos 8, avançou com liberdade e chutou da intermediária. A bola passou por cima do gol, mas o lance mostrou que o time poderia reagir. E foi isso que aconteceu. Aos 12, Alvaro Pereira foi derrubado na grande área. Pênalti, que o M1TO converteu e deixou tudo igual no marcador: 1 a 1.

O Tricolor ainda comemorava o suado gol de empate quando dois minutos depois, aos 14, Alemão se antecipou após cobrança de falta e recolocou a Ponte Preta em vantagem: 2 a 1. Para dar cara nova ao time após o susto, Muricy promoveu as entradas dos jovens Lucas Evangelista e Ewandro.

Os garotos deram mais mobilidade ao time, que chegou bem perto do empate novamente. Ewandro recebeu de frente para a área e bateu colocado. A bola passou com extremo perigo e animou os jogadores são-paulinos. Nos minutos finais, lutando pelo gol, o Tricolor pressionou, mas não conseguiu marcar novamente. Já os campineiros, quando conseguiram chegar ao ataque, pararam nas boas defesas de Rogério.