São Paulo F.C



Aguirre faz analises e já projeta encontro com o Rosário Central

Técnico vê alternância de momentos ruins e bons na partida diante do Atlético/MG e espera acertar nos trabalhos antes da Sul-Americana

8927.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

São apenas três dias para assimilar o que aconteceu de melhor no empate diante do Atlético Mineiro, na noite deste sábado (5), no Morumbi, e corrigir o que precisa para o novo desafio de quarta-feira (9), pela Sul-Americana, diante do Rosário Central, também no Morumbi. Aguirre exaltou o espírito de luta da equipe, mas sabe que cada jogo tem uma história e característica diferente.

O Tricolor saiu na frente com gol de Everton, ainda no primeiro tempo. Porém, no segundo, em poucos minutos, viu o time mineiro empatar e virar a partida. A partida então ganhou mais emoção e vontade das dias equipes, com o São Paulo chegando ao empate com Diego Souza.

“Foi um jogo que mudou muito, nós começamos ganhando, mas estavam se enfrentando dois times grandes, com intenção de ganhar e propor o jogo. Então foi um jogo de situações pros dois lados, eles viraram o jogo e depois reagimos para empatar, parecia que poderíamos passar à frente, mas acho que foi um jogo bom para assistir. Logicamente tenho que analisar tudo. Tivemos momentos bons, outros nem tanto, mas sabíamos que queríamos a vitória, que não foi possível, mas temos que continuar trabalhando”, analisou o técnico Diego Aguirre.

Com treinos domingo, segunda e terça, o comandante já saiu do Morumbi com pensamentos voltados para a estreia na Sul-Americana, diante do Rosário Central, na próxima quarta-feira, dia 9, às 21h45, no Morumbi, com ingressos já à venda para os torcedores.

“Cada jogo tem uma história diferente, você pode planejar muitas coisas, às vezes dá certo, outras não. Para o jogo de quarta, que é decisivo, temos que passar ainda. Tenho ideias, mas vamos falar as ideias para ter outras ideias mais profundas amanhã ou depois de amanhã”, disse, se referindo à dividir com os membros da comissão técnica.

No aquecimento da partida diante do Atlético/MG, Éder Militão sentiu dores musculares, ficando fora da partida. Nene deixou o jogo no segundo tempo, também com dores, ambos são dúvidas para quarta.

“O Militão sentiu um desconforto no aquecimento e eu senti que tinha muito risco de colocar ele e perdê-lo por mais jogos. Uma decisão de último momento. Já o Nene temos que esperar os médicos, não é uma situação que eu possa falar mais, temos três dias para preparar o jogo de quarta e eu preciso ter a certeza de quem pode jogar. Temos que definir o time, mas colocar em campo jogadores que estejam 100%”, finalizou.