São Paulo F.C



Jogadores saem frustrados com empate apesar da dedicação e prometem trabalho forte

Sidão lamenta erro em bolas paradas, enquanto Bruno Alves e Marcos Guilherme exaltam garra e determinação para reagir

8103.jpg

Por Rubens Chiri/saopaulofc.net

Em duelo no Morumbi, com mais de 43 mil torcedores presentes, o São Paulo recebeu a Ponte Preta em busca de reabilitação no Campeonato Brasileiro. Vencendo por 2 a 0, gols de Hernanes e Bruno Alves, o Tricolor teve Jucilei expulso aos 18 minutos do segundo tempo. Em partida difícil, acabou cedendo o empate e somando apenas um ponto. Frustrados, os jogadores são-paulinos lamentaram o resultado, mas se mostraram ainda mais motivados e unidos em prol do time.

O São Paulo saiu com 1 a 0 do primeiro tempo, com um golaço de falta de Hernanes, no ângulo. Na saída para o intervalo, o camisa 15 alertou: "Não podemos nos garantir no 1 a 0. Temos uma proposta bem definida, estamos bem postados e atentos na defesa. É continuar assim para aproveitar os contra-ataques e fazer o segundo gol".

O segundo gol saiu, com o estreante Bruno Alves. Porém, minutos depois, o ponto crucial da partida. O árbitro Marcelo de Lima Henrique marcou penalidade para a Ponte, justificando que Jucilei bloqueou a bola com o braço direito. O volante Tricolor foi expulso. Danilo Barcelos converteu a cobrança, 2 a 1. Aos 31, Léo Gamalho deixou tudo igual, de cabeça, após cobrança de escanteio.

"Tivemos dois gols de bola parada. Demos mole, o que combinamos dentro do vestiário, não foi feito. O sentimento é de frustração, o trabalho é feito, treinamos a semana toda muito bem, mas demos mole”, lamentou o goleiro Sidão, que fez pelo menos três defesas de alto grau de dificuldade.

Bruno Alves também lamentou. "Era um jogo difícil, o juiz expulsou na interpretação, deixando tudo mais difícil ainda. O que podemos fazer, novamente, é trabalhar forte. Com o espírito de trabalhar unidos, como estamos, vamos sair dessa. Estamos blindados, um correndo pelo outro, com garra e determinação", apontou.

Marcos Guilherme, exaltou a torcida, que por 90 minutos apoiou, vaiando apenas no final. "É do direito deles fazer isso pós jogo. Quando fizemos o segundo gol, deixamos de jogar um pouco. Pagamos por isso. Temos que controlar o jogo, segurar a bola, erramos novamente. Estamos tentando, estamos extremamente tristes, mas temos que reagir. Temos que nos juntar ainda mais, trabalhar forte, com determinação", finalizou.