São Paulo F.C



Em tarde emocionante, Tricolor empata com o Bahia na despedida de Lugano

Ídolo uruguaio foi ovacionado pela torcida, que escreve mais um capítulo histórico neste domingo (3)

Com mais de 60 mil torcedores nas arquibancadas, o Tricolor voltou para o Morumbi em um domingo (3) para lá de emocionante e especial. Na despedida do ídolo Lugano, que foi ovacionado e encerrou a sua trajetória como jogador do clube nos braços do torcedor, o São Paulo empatou com o Bahia por 1 a 1 pela rodada de encerramento do Campeonato Brasileiro de 2017.

A partida com os baianos, que rendeu o recorde de 1.009.059 torcedores em jogos da equipe são-paulina como mandante na temporada, superando o feito de 2006 (1.001.982 pagantes), também reservou um capítulo marcante para o jovem Brenner: o atacante anotou o seu primeiro gol pelo time principal e foi carregado por Lugano.

Com o resultado, o Tricolor encerrou a sua participação na competição nacional deste ano na 13ª colocação, com 50 pontos em 38 rodadas. Mais do que o placar e o lugar na tabela, a disputa do torneio uniu ainda mais a torcida da equipe, que encerra a temporada fortalecida para encarar 2018.

Para duelar com os baianos, o Tricolor contou com a volta do volante Petros, que cumpriu suspensão automática na vitória sobre o Coritiba (2 x 1). Assim, com Lugano entre os titulares, o técnico Dorival Júnior escalou o time com Sidão; Éder Militão, Lugano, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros e Shaylon; Cueva e Marcos Guilherme e Brenner.

Já Morato e Wellington Nem (cirurgias no joelho direito), Bruno (aprimora forma física após se recuperar de cervicalgia), Lucas Fernandes (leve estiramento no músculo posterior da coxa esquerda), Jonatan Gomez (tendinite no joelho direito), Maicosuel (entorse no joelho direito), Hernanes e Pratto (leve estiramento no reto femoral da coxa direita) não estavam à disposição.

O adversário, comandado pelo técnico Paulo César Carpegiani, atuou com Jean; Éder, Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Rene Junior, Edson, Allione e Régis; Mendoza, Edigar Junio. Quando a bola rolou, o primeiro tempo não teve muitas oportunidades, mas ainda assim o São Paulo chegou ao ataque para tentar largar na frente antes do intervalo.

Aos 14 minutos, após cobrança de escanteio, Lugano foi derrubado por Edson na grande área, mas a arbitragem não assinalou a penalidade máxima. Enquanto isso, do outro lado, os visitantes tentavam responder nos contragolpes, porém, o sistema defensivo deu conta do recado e protegeu o gol de Sidão.

Na volta para o segundo tempo, o jogo melhorou e foi lá e cá. As duas equipes partiram em busca do gol e agitaram a partida, que ficou movimentada. Aos nove minutos, Shaylon recebeu na entrada da área e soltou a bomba: a bola explodiu no travessão de Jean!

Assim como na primeira etapa, o Bahia tentou avançar e também levou perigo.  No entanto, os anfitriões largaram na frente! Aos 17 minutos, Renê Júnior recuou a bola e o arqueiro baiano agarrou com a mão: infração marcada a favor do Tricolor dentro da grande área. Tiro livre indireto! Na cobrança, Petros rolou e Brenner bateu colocado, de chapa, para estufar as redes e marcar o seu primeiro gol no time principal! 1 a 0! Festa nas arquibancadas e muita comemoração do garoto, que foi carregado nos braços por Lugano: emocionante!

Mesmo em vantagem no placar, o time são-paulino manteve a postura ofensiva e criou outra boa chance aos 28: Shaylon bateu falta com perigo e deu trabalho ao arqueiro rival, que fez a defesa. Já na reta final do confronto, para dar fôlego novo ao time, Dorival promoveu as entradas de Bissoli e Gabriel, que estrearam no principal, além de Thomaz. O jovem Brenner, autor do gol da vitória, saiu aplaudido e nos braços da torcida.