São Paulo F.C



"Nós queremos ser campeões e temos de buscar desde agora"

Alan Kardec quer que o Tricolor arranque com estilo no Brasileiro na disputa pelo heptacampeonato

5135.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

No próximo domingo (15), diante do Botafogo em Volta Redonda, o Tricolor fará a sua estreia no Campeonato Brasileiro. Na disputa das quartas de final da Libertadores da América, a equipe titular será preservada e assim o técnico Edgardo Bauza dará uma oportunidade aos atletas que não têm atuado com regularidade. E mesmo sem força máxima, o atacante Alan Kardec não abre mão de um resultado positivo na rodada de abertura do torneio nacional. Focado na conquista do heptacampeonato, o camisa 14 quer que o São Paulo arranque em grande estilo.

“É a maior competição nacional. Os pontos do início são importantes. Para alguns não faz diferença, mas depois faz falta. Nós queremos ser campeões e temos de buscar desde agora. Nada melhor do que buscar três pontos. Temos de buscar esse objetivo e jogar com inteligência, mas temos respeito pelo Botafogo. Não é porque teremos 11 jogadores diferentes, que não considero reservas, pois têm condição de ser titulares. Não tem entrosamento, mas dependendo do que acontecer no jogo um empate não será ruim. Mas não vamos buscar o empate, e sim a vitória”, afirmou o centroavante, que acrescentou.

“Precisamos aproveitar a oportunidade. São jogadores novos entrando, alguns pela primeira vez como titular. Há muitos fatores positivos dessa partida. O Botafogo foi finalista do Carioca, tem bons jovens. Não acompanhei o jogo de ontem deles pela Copa do Brasil, mas estou concentrado no nosso trabalho. Talvez esse time não tenha entrosamento, mas todos estão com muita vontade para dar o melhor ao São Paulo”, acrescentou.

Além de ter a oportunidade de adquirir mais ritmo de jogo e buscar um triunfo na estreia, Kardec quer mostrar serviço e acirrar a disputa por um lugar entre os titulares de Patón. “Individualmente, é sempre bom jogar. Tenho buscado meu lugar. Hoje tem uma briga direta com o Calleri, que está ajudando muito o time. Se continuarmos na Libertadores, é natural ter mais chances, mas sempre estive preparado. Não estou satisfeito individualmente, porque posso render muito mais, como já rendi principalmente em 2014, quando fomos vice-campeões”, opinou o atacante, que completou.

“Torço pelo coletivo, mas quero melhorar individualmente. Infelizmente perdi jogos por virose. Passei o dia inteiro no hospital tomando soro e não iniciei o jogo como titular. Foi uma oportunidade que passou. Agora, domingo, tenho a chance de mostrar meu valor, provar a todos que posso ser titular. Não é fácil, mas com grandes profissionais ao lado você fica mais tranquilo. O Pintado me ajuda muito no dia a dia, diretamente, conversando, cobrando, temos a parte da psicologia que é muito boa. Tem de ter o pé no chão e saber o momento de conversar com as pessoas. Tem me ajudado muito para estar tranquilo e mostrar meu potencial em campo”, disse.

Por fim, o centroavante reforçou o desejo da equipe de quebrar o incômodo tabu como visitante nesta temporada. Até aqui, o Tricolor derrotou apenas o Cerro Porteño-PAR como visitante. “Pode ser quebrado. Temos capacidade e jogadores com vontade de vencer. Pode começar no domingo. São jogos de muita vontade, intensidade e inteligência. O Brasileiro tem 38 rodadas. A Libertadores não precisamos de vitória, mas com um gol teremos uma ótima vantagem. Tem de fazer jogos de inteligência. O quanto antes vencer fora de casa será melhor”, finalizou.