São Paulo F.C



Com virada espetacular, São Paulo bate o Paulistano no fim

Tricolor garante resultado a menos de um minuto e enlouquece a torcida no Morumbi

O São Paulo parece ter nervos de aço para construir vitórias épicas. Depois de tirar uma desvatagem de 24 pontos contra São José na semana passada, dessa vez o Tricolor reverteu um déficit de 14 pontos e venceu o Paulistano por 75 a 74 no Ginásio Antonio Leme Nunes Galvão, no Morumbi. O Tricolor ficou atrás praticamente o jogo todo, mas novamente mostrou enorme poder de superação e, empurrado pela torcida, virou o placar nos segundos finais para assegurar mais uma vitória importantíssima no NBB e se manter nas primeiras posições. Shamell, com 19 pontos e cinco rebotes, Léo Meindl, com 15 pontos e 11 rebotes e Renan, com 16 pontos e quatro rebotes, foram os principais nomes da equipe numa noite onde parecia que nada daria certo, mas a força do grupo falou mais alto.

Como já aconteceu em jogos recentes, o São Paulo começou o primeiro período com muitos erros nos arremessos e os rivais apresentando um desempenho inversamente proporcional. Afiado nos tiros de longa distância (dos seis primeiros tentados, quatro convertidos e um total de seis acertos no período), o Paulistano chegou a abrir 20 a 4 nos primeiros minutos. No entanto, Jones saiu do banco de reservas para marcar oito pontos e recolocar os donos da casa na partida.

O que parecia o início de uma reação, no entanto, não se confirmou nos dez minutos seguintes. O Tricolor seguia enfrentando muitas dificuldades para encaixar seu jogo e passou a primeira metade do segundo quarto com apenas dois pontos marcados, mas o desempenho do adversário também caiu. A partir da metade do segundo quarto o time conseguiu uma leve melhora, mas ainda insuficiente para ensaiar qualquer reação e foi para o vestiário 14 pontos atrás (43 a 29).

A volta para o terceiro quarto mostrou um São Paulo mais ligado na partida. Com aproveitamento muito superior ao que havia apresentado até então (53% nos arremessos de quadra e quatro bolas de três), a equipe chegou a encostar no placar e ficar a três pontos do empate, mas nos instantes finais o adversário conseguiu encaixar uma boa sequência e voltou a abrir dez pontos de frente, mas a reação inflamou a torcida e o Morumbi virou um caldeirão.

O último quarto foi absolutamente insano. Na base da garra, o São Paulo acertou sua defesa, melhorou a produção ofensiva e foi encurtando a diferença. A menos de três minutos para o fim, o empate finalmente chegou e fez o ginásio Antonio Leme Nunes Galvão explodir de vez. Os mais de 1,3 mil torcedores empurraram a equipe e jogaram junto a cada bola. Com o placar empatado, os rivais desperdiçaram ataques em série, elevando ainda mais o nível de tensão.

Mas a menos de um minuto do fim do jogo, o Paulistano cometeu uma violação de 24 segundos e Léo Meindl, a 27 segundos do fim, colocou o Tricolor na frente pela primeira vez na partida. No ataque seguinte, Solano desperdiçou o arremesso de três, Shamell pegou o rebote e sofreu a falta para converter os dois lances que garantiriam a vitória épica. Coleman ainda faria uma cesta de três, mas o resultado - e a festa - já eram do São Paulo.


O Tricolor agora inicia uma série de três jogos longe de casa. O primeiro deles acontece nesta segunda-feira, diante do Pato Basquete, em Pato Branco. Depois enfrenta Minas e Brasília.