São Paulo F.C



Leilão de camisas #ForçaChape arrecada mais de R$ 148 mil para famílias das vítimas

Na despedida da temporada, Tricolor usou uniforme especial em memória aos que nos deixaram na tragédia com o voo da Chape

F_7304.jpg

Por Rubens Chiri / saopaulofc.net

O leilão realizado pelo São Paulo, em parceria com a Superbid, das 46 camisas usadas na goleada sobre o Santa Cruz, na última rodada do Campeonato Brasileiro, arrecadou R$ 148.575,00. O montante será destinado às famílias das vítimas do acidente com o voo que transportava a delegação da Chapecoense para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, em Medellín (COL).

Na despedida do campeonato, o São Paulo usou camisas com o escudo da Chape e do Tricolor, que também levavam os nomes dos atletas do time de Chapecó. Um deles, o lateral Mateus Caramelo, era atleta do São Paulo. Cleber Santana, capitão dos Eternos Campeões, também vestiu as cores são-paulinas em 2010.

Por iniciativa do clube, o uniforme não teve patrocinadores. A ação foi prontamente encampada pelos parceiros Under Armour, Prevent Senior, Corr Plastik, Fiap, Joli, Poty e Tim, que abdicaram da exposição das marcas para prestar a devida homenagem à Chapecoense.

Com patches lembrando as 71 vítimas do acidente e a hashtag #ForçaChape, as 46 camisas feitas para o jogo foram a leilão, com toda a renda revertida para um fundo de apoio às famílias dos passageiros - inclusive a doação pela Superbid dos 5% usualmente repassados ao leiloeiro.

Sobre a Superbid

Fundada em 1999, por Leiloeiros Oficiais e executivos do mercado, a Superbid é especializada na avaliação e venda de ativos físicos por meio de leilões oficiais presenciais e via internet simultaneamente. Migrou o leilão tradicional para a internet, conferindo uma maior participação de compradores em um ambiente de negociações 100% rastreável.

É a pioneira em leilões online no Brasil, ofertando no mercado uma grande quantidade de máquinas pesadas, equipamentos industriais, máquinas operatrizes, frota de caminhões e veículos, tratores e implementos agrícolas, mobiliário, informática e também imóveis. Mais recentemente, joias, relógios, vinhos e antiguidades passaram a integrar o rol de bens ofertados.